Gisele desfila para os 60 anos da Dior

- O Estado de S.Paulo

Evento no Palácio de Versalhes foi inspirado em pintores impressionistas

O estilista britânico John Galliano celebrou o 60° aniversário da maison Dior com um desfile de outono-inverno extravagante inspirado em pintores impressionistas e modernos e apresentado no Palácio de Versalhes. A maison, cujas criações controversas ajudaram a erguer sua fama, também comemorou seu 60o aniversário com uma opulência que evocou o reinado de Luís 14, o "Rei Sol" -- o monarca do século 17 que transformou Versalhes em palácio real. A grife, favorita de ricos e famosos, aproveitou a ocasião para tecer uma reflexão sobre sua evolução, desde o "New Look" lançado por Christian Dior em 1947 até os vestidos teatrais de John Galliano. Modelos que incluíram Gisele Bundchen e Linda Evangelista, desfilaram em vestidos inspirados por pintores como Cocteau, Picasso, Renoir, Degas e Toulouse-Lautrec. A fabricante de artigos de luxo LVMH, proprietária da Dior, promoveu um baile com um quarteto de música clássica e a presença das atrizes Sharon Stone, Monica Bellucci e a Bond girl Eva Green. Estavam presentes também os cineastas Pedro Almodóvar e Sophia Coppola e a cantora e atriz Marianne Faithfull. A primeira coleção de Christian Dior, em 1947, introduziu uma silhueta marcantemente feminina, com cintura marcada que se abria para um vestido volumoso, de bainha longa, feito com 20 metros de tecido -- um estilo que alguns críticos viram como reprovável, após anos de penúria provocada pela guerra. "Desenhei mulheres flores", teria dito Dior, falando de seu estilo, para o qual a Harpers Bazaar teria cunhado a descrição "New Look". Yves Saint Laurent e o estilista italiano Gianfranco Ferre, morto no mês passado, também trabalharam para a Dior até Galliano levar seu próprio "New Look" à maison. Os desfiles teatrais promovidos pelo estilista britânico, e sua ênfase sobre acessórios como bolsas, óculos de sol e jóias, contribuíram para transformar a maison francesa em grife mundial.