Gengibre reduz náusea após quimioterapia

LOS ANGELES TIMES - O Estado de S.Paulo

Pesquisadores também apontam um novo tipo de droga para combater os efeitos colaterais

A quimioterapia em breve poderá ser menos penosa. A simples adição de uma colher de chá de gengibre ao alimento consumido nos dias antes, durante e depois da quimioterapia pode reduzir efeitos colaterais debilitantes de náuseas e vômitos, revelou um grande teste clínico. E um tipo mais novo de droga antináusea, quando acrescentado a medicamentos normais, também ajuda a evitar o problema. Os resultados com o gengibre, publicados em The Lancet Oncology, serão apresentados no fim do mês na reunião da Sociedade Americana de Oncologia Clínica. Especialistas em câncer consideram as descobertas significativas, pois cerca de 70% dos pacientes de quimioterapia sofrem com náuseas e vômitos durante o tratamento. "A quimioterapia se tornou a coisa que pacientes de câncer mais temem", disse Steven Grunberg, professor de medicina na Universidade de Vermont e principal autor do estudo. "Fizemos um progresso imenso, mas não resolvemos completamente o problema." No estudo com o gengibre, 644 pacientes, na maioria mulheres, de 23 clínicas oncológicas dos Estados Unidos receberam dois medicamentos antieméticos padrão na época da quimioterapia. Eles também receberam cápsulas contendo 0,5 grama, 1 grama ou 1,5 grama de gengibre, ou cápsulas de placebo. Os pacientes tomaram as cápsulas de placebo ou de gengibre por três dias antes da quimioterapia e três dias depois. Todos os que receberam gengibre tiveram menos náuseas por quatro dias após a quimioterapia, disse Julie L. Ryan do Centro Médico da Universidade de Rochester. As doses de 0,5 grama e 1 grama foram as mais eficazes, reduzindo a náusea em 40% em relação aos pacientes que tomaram placebo. O estudo é o maior até agora a examinar o efeito do gengibre, que já é amplamente usado como remédio caseiro para disfunções estomacais. Um grama de gengibre equivale a cerca de uma colher de chá. No estudo chefiado por Grunberg, 810 pacientes receberam duas drogas antináusea padrão, dexamethasona e ondansetron. Esse regime de duas drogas é mais eficaz para evitar náusea e vômitos nas primeiras 24 horas após a quimioterapia. Um terço dos pacientes recebeu adicionalmente uma dose diária da nova droga, um terço recebeu uma dose em três dias e um terço recebeu placebo. Os autores descobriram que a adição de mesilato de casopitant ajudava a controlar sintomas na chamada fase retardada da náusea que ocorre depois do primeiro dia após a quimioterapia. Enquanto 66% dos pacientes que receberam o regime de duas drogas padrão não tiveram nenhuma náusea ou vômito nos cinco dias após a quimioterapia, 86% dos pacientes que tomaram uma única dose de mesilato de casopitant, e 80% dos que tomaram uma dose durante três dias foram protegidos. O mesilato de casopitant provavelmente proporciona alívio extra de sintomas porque age em sistemas nervosos diferentes dos visados pelas drogas padrão conhecidas como antagonistas do receptor de serotonina; o mesilato de casopitant bloqueia a chamado via NK1 no cérebro. Ao que parece também, a combinação de três drogas pode ser administrada no dia da quimioterapia sem a necessidade de doses adicionais, disse Grunberg. "Nosso objetivo é manter a qualidade de vida durante a quimioterapia."