Físicos polemizam sobre LHC

Londres, Efe - O Estado de S.Paulo

Existência de partícula opõe Higgs e Hawking

Os britânicos Peter Higgs e Stephen Hawking, dois dos mais famosos cientistas do mundo, estão envolvidos em uma polêmica em torno do Grande Colisor de Hádrons (LHC, na sigla em inglês), que começou a funcionar anteontem. Entenda o LHC e ouça comentário de pesquisador brasileiro O LHC pode tornar realidade o sonho de Higgs, de ver confirmada sua teoria sobre a partícula que leva seu nome, o bóson de Higgs. O bóson está nas bases da física de partículas, apesar de até agora sua existência não ter sido demonstrada experimentalmente. Caso a teoria de Higgs se confirme, o físico de 79 anos deve ser agraciado com o Prêmio Nobel, com o qual Hawking também espera ser premiado. Em certa ocasião, Hawking chegou a apostar 100 libras (cerca de R$ 318) na previsão de que o bóson não será descoberto pelo LHC. Em declarações à imprensa em Edimburgo, na Escócia, Higgs disse que não leu um trabalho recente de Hawking, em que o físico tenta demonstrar que o bóson de Higgs não será descoberto, mas afirmou conhecer um artigo anterior que serve de base para os cálculos mais recentes. Higgs disse não acreditar que fosse um bom trabalho e criticou o colega por juntar teorias sobre partículas e gravidade de um modo que qualquer físico de partículas desaprovaria imediatamente. "Do ponto de vista da física de partículas, da perspectiva da física quântica, é preciso incluir algo além da gravidade na teoria, e não acho que Stephen tenha feito isso. Tenho grandes dúvidas quanto a seus cálculos", explicou Higgs. Para Hawking, o LHC pode provar a existência de outras partículas hoje apenas teóricas, mas não do bóson. ?BESTEIRA? Durante a coletiva, Higgs desestimulou os temores sobre a formação de um buraco negro que poderia surgir com a atividade do acelerador de partículas. Alguns cientistas chegaram a afirmar que o LHC poderia formar buracos negros. "Isso tudo é besteira. As pessoas que tentaram impedir as experiências com mandados judiciais deveriam ser mais sensatas. Sabemos que os buracos negros são pontos colossais na galáxia, mas nesse caso se trata de um buraco negro minúsculo, que pode sumir rapidamente", afirmou Higgs.