Falando de sexo: É paixão ou é tesão?

Agencia Estado - O Estado de S.Paulo

Pesquisas vem, pesquisas vão, mas no nosso dia-a-dia, o amor, o afeto, seja qual for, ainda é importante. Nascemos e crescemos com o desafio diário de amar ao próximo, de amarmos nós mesmos. É esse sentimento que ameniza nosso lado violento e que nos permite viver em sociedade. Dois lados do amor ainda são para nós um grande mistério. O primeiro deles, e acho que o mais fundamental , é o amor próprio. Ele é a base de tudo. É bem aquele ditado: ame a você primeiro se quiser ser bem amado. Se você se valoriza, sabe quem você é, suas limitações, seus defeitos, suas qualidades, seus talentos, você sabe se colocar no mundo e para as outras pessoas. O segundo aspecto do amor é aquele que dedicamos ao parceiro, que sentimos por ele. Muita confusão pode vir neste caso: é paixão? É tesão? Ou é algo mais forte e sólido: o amor? Muitos acham que o amor entre marido e mulher é o componente básico para uma relação estável. Nem sempre. Às vezes por amor é necessário abrir mão de uma relação. Isso acontece todos os dias. Mas uma coisa é certa: como é bom nos sentirmos amados, queridos e como é bom sentir por alguém esse amor. Amor pode ser sexo, pode ser carinho, pode ser atenção, desde que ele flua sem impedimentos, sem medos. Espero vocês todas as noites na Rádio Nativa.