Ex-governador não se pronuncia

Eduardo Kattah - O Estado de S.Paulo

O advogado que representa a Igreja Universal, Luis Eduardo Alves Pífano, não foi localizado anteontem pela reportagem do Estado. Por meio da assessoria de imprensa de Newton Cardoso, o advogado Cláudio Donato afirmou que o ex-governador não vai se pronunciar, pois não é parte na ação. Ele afirmou que a venda da Ediminas obedeceu aos preceitos jurídicos e legais da época e que cabe à deputada Maria Lúcia Cardoso, ex-mulher de Newton, provar as afirmações. Em abril, a Justiça determinou que Newton pague à ex-mulher, sob pena de prisão em caso de descumprimento, pensão mensal de 250 salários mínimos, o equivalente a R$ 116 mil. No processo de separação litigiosa que tramita na 3.ª Vara da Família, em Brasília, a deputada requer parte da fortuna de Newton. O ex-governador, no início do ano, afirmou que era dono de um patrimônio superior a R$ 2 bilhões.