Etiqueta digital

Vera Fiori - O Estado de S.Paulo

Cair na risada em frente à tela do computador, mandar e-mails de mau gosto e ficar o dia todo no MSN são atitudes mal vistas

Qualquer atitude deselegante pode queimar uma imagem profissional. "Como os sinais de trânsito, o protocolo do escritório nos protege de colidir contra os outros, de magoar os sentimentos dos colegas ou de prejudicar a reputação da empresa", escreveu Amy Vanderbilt, autora do best seller O Livro Completo de Etiqueta (Nova Fronteira). A partir da internet, houve uma revolução nos meios de comunicação. O uso do computador exige bom senso no ambiente de trabalho. Não é nada profissional receber uma mensagem de alguém que você nunca viu na vida com saudações do tipo "oi fofa" ou "oi gato". Gafe maior é fazer gracinha, escrevendo como um teenager, por exemplo: "o evento foi tudoooooo de bom", e por aí afora. E muito cuidado ao encaminhar uma mensagem a terceiros. Verifique antes se não há uma troca de mensagens comprometedoras ou pessoais no corpo do e-mail. Em seu livro Boas Maneiras Nunca é Tarde para Aprender (Companhia Editora Nacional), a consultora Patricia Rollo observa: "a coisa extrapolou de tal maneira a ponto de exigir etiqueta digital, netiqueta ou netiquette, nomenclatura que se dá aos princípios de cortesia no envio de mensagens eletrônicas." Patricia dá várias dicas. Quando enviar a mesma mensagem para um grupo de pessoas, coloque-as no campo CCO, que quer dizer "com cópia oculta", assim todos receberão a mensagem como se fosse exclusiva. E também não é preciso que conheçam toda a sua lista de contatos. Habitue-se a iniciar o e-mail com um cumprimento, e jamais passe adiante mensagens sobre vírus, notícias esdrúxulas, fofocas, propagandas e fotos pesadas, pois sobrecarregam a rede, oneram o usuário e acabam no lixo. Segundo o consultor de etiqueta Fabio Arruda, autor dos livros Sempre às Vezes Nunca e Chique e Útil (Editora Arx), a primeira coisa é ter em mente que vida pessoal e vida profissional não se misturam. "Não se deve abrir nem enviar e-mail pessoal. Mesmo que o e-mail não seja monitorado pela empresa, esse tipo de comportamento depõe contra o funcionário." Lembrando a velha frase "tempo é dinheiro", imagine um executivo atarefado abrindo suas mensagens e dando de cara com uma corrente religiosa ou um power point que dura uma eternidade com mensagens de auto-ajuda. "Esse tipo de coisa só tem graça para quem gosta. Na dúvida, não mande." Mensagens instantâneas, o MSN, de acordo com o consultor, tiram o foco da pessoa, fora as situações embaraçosas, como dar uma gargalhada em frente à tela por ter recebido uma piada ou coisa parecida. - Escrever de forma abreviada, como trocar você por vc, quando por qdo e hoje por hj, só se a pessoa tiver 15 anos. O mesmo vale para o uso de "smiles", aquelas caretinhas felizes ou "emoticons", aqueles pequenos sinais como :) ou :( - que representam emoções como alegria, tristeza, piscadinha. E-mail é correspondência virtual e não perda de tempo! Além disso, não se deve esquecer de endereçar o e-mail nominalmente com uma saudação discreta, escrever um texto inteligente, despedir-se, no máximo, com um abraço ou um "atenciosamente" e checar erros de português ou de digitação antes de enviar. FIQUE DE OLHO Como manter um relacionamento profissionalmente adequado na troca de e-mails? Para as consultoras da SEC Talentos Humanos, empresa de Recursos Humanos especializada em secretárias, o profissional deve usufruir das soluções com ponderação, sem se prejudicar. Segundo Vivian Maerker Faria, diretora da empresa, com a globalização, há uma necessidade de estar inserido no mundo da tecnologia. "Mas, muitas vezes, não sabemos como nos comportar perante tantas opções e como fazer para manter a seriedade, principalmente no ambiente de trabalho", comenta. Para quem acha o comportamento irrelevante, atenção: "muitas vezes, o profissional é avaliado pelo material que tem postado na internet, a maneira como escreve um e-mail. Isso porque, com a concorrência cada vez mais feroz no mercado, o relacionamento digital torna-se decisivo para classificar ou desclassificar alguém." De acordo com Vivian, é preciso ter em mente que não há restrições para acessos a páginas pessoais. O chefe, por exemplo, pode saber tudo sobre a vida pessoal do colaborador. Por isso, essas páginas devem ser encaradas como verdadeiros cartões de visita. - Essas ferramentas expõem muito as pessoas e podem resultar em uma imagem errada, pois cada um interpreta como quer. Na maioria das vezes, blogs e comunidades mostram a imaturidade das pessoas. Participar de uma comunidade como "adoro beber"ou ter um correio eletrônico gostosinha@hotmail.com não contam pontos positivos para a imagem profissional. Ainda, segundo a profissional, é preciso ter em mente que, quando uma empresa permite o uso de programas de mensagens instantâneas, deve-se ter em mente que isso não pode atrapalhar o desempenho profissional . "Se isso acontecer, não somente a ferramenta poderá ser retirada, como o profissional será identificado como desqualificado, desrespeitoso, ou até mesmo desinteressado pelo trabalho, gerando alto risco de demissão", completa Vivian. Quanto a enviar currículos por e-mail, alguns cuidados mínimos devem ser observados, entre eles, o de ter o cuidado de endereçar a correspondência para a pessoa e departamento aptos a recebê-los. Caso contrário, com certeza a correspondência vai parar na lixeira, principalmente se cair em mãos erradas. "O profissional que busca uma oportunidade de emprego tem de ter em mente a vaga ou departamento em questão, e focar nas necessidades da vaga que estejam dentro das suas competências", fala a consultora Stefi Maerker. A sugestão é enviar o material a empresas que realmente interessam, ou a pessoas que de fato possam ajudar. Por fim, diz a consultora, jamais coloque algo que não possa comprovar, pois mentira tem pernas curtas. E, uma vez pego no erro, não há forças no mundo para restabelecer a credibilidade.