Entidade critica nome indicado para ANS

Fabiana Cimieri, RIO - O Estado de S.Paulo

Ex-diretor de seguradora pode ocupar cargo em agência que regula o setor

A Associação Nacional dos Servidores Efetivos das Agências Reguladoras (Aner) pretende entregar nesta semana um abaixo-assinado à Casa Civil contra a indicação de Maurício Ceschin, ex-diretor-presidente da seguradora Qualicorp, para ocupar o cargo de diretor de Desenvolvimento Setorial da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). A agência é responsável pela regulação do mercado de planos de saúde. "É como colocar a raposa para tomar conta do galinheiro", criticou o presidente da Aner, Paulo Eduardo Stangler. Para ele, a indicação diminui a credibilidade da agência reguladora, já que "representa a captura do regulador pelo regulado". De acordo com Stangler, as assinaturas dos servidores da ANS estão sendo recolhidas, e a Aner está tentando agendar uma reunião com a secretária executiva da Casa Civil, Erenice Guerra, para discutir o assunto. Segundo a Qualicorp, Ceschin deixou a presidência da empresa no início do ano e não possui mais vínculo com a operadora. A reportagem do Estado tentou localizá-lo ontem, mas não conseguiu até o fechamento da edição. O Ministério da Saúde confirmou a indicação de Ceschin ao cargo, até então ocupado por Leôncio Feitosa, que já cumpriu o segundo mandato e não pode ser reconduzido. Em nota, o ministério informou que o novo nome foi indicado com base em critérios técnicos - "ele é médico, tem mais de 25 anos de experiência em gestão hospitalar e gerenciamento de recursos humanos, tendo sido diretor superintendente do hospital de excelência Sírio-Libanês". Antes de ser nomeado, Ceschin deve ser sabatinado pela Comissão de Assuntos Sociais do Senado e precisa ter seu nome aprovado por votação no plenário da Casa. Só após esse trâmite, a nomeação é publicada no Diário Oficial da União. O abaixoassinado da Aner inclui também o nome da diretora-presidente da Geap, Regina Parizi. A Geap é uma fundação de seguridade social , sem fins lucrativos, que oferece planos de saúde a servidores públicos. O Ministério da Saúde disse, no entanto, que o nome de Regina não foi indicado. Ela não quis comentar o assunto. A outra diretoria vaga na ANS é a de fiscalização, ocupada atualmente por Eduardo Salles, que poderá ser reconduzido porque está no primeiro mandato. REGULAÇÃO A ANS foi criada pela lei nº 9.961, de 2000, e tem por finalidade promover a defesa do interesse público na assistência suplementar à saúde, regulando as operadoras de planos, autorizando a comercialização de novos produtos, fiscalizando e determinando regras para o setor. Atualmente, cerca de 41 milhões de brasileiros têm algum tipo de plano de saúde médico-hospitalar.