''Ela sempre foi uma menina saudável''

- O Estado de S.Paulo

Magda da Paz Santos: tia de Jacqueline

Jacqueline Ruas tinha um estado de saúde bom, não tomava nenhuma medicação e ligava quase diariamente para a família durante a viagem, segundo Magda Santos, tia da adolescente. Ainda no aeroporto, na companhia dos outros familiares, a tia afirmou que os remédios que a garota trazia na bagagem (analgésicos, anti-inflamatórios, xarope para tosse e o antiviral Tamiflu, usado contra gripe suína) haviam sido prescritos pelos médicos nos Estados Unidos. A Jacqueline viajou para Orlando com alguma doença? De jeito nenhum. Ela sempre foi uma menina saudável. No colégio era líder de torcida, fazia vôlei, ginástica. E na família nunca ninguém teve o hábito de ficar tomando remédio. Mas na bagagem dela havia vários medicamentos, até mesmo o Tamiflu, usado no tratamento da gripe suína. Mas ela só estava tomando esses remédios porque os médicos dos Estados Unidos pediram. Agora, a gente quer descobrir o motivo de todos esses remédios estarem na mala dela. Nos telefonemas que trocou com a família nos dias em que esteve viajando ela comentou sobre uma possível gripe suína? Sim e não. Ela estava com os sintomas semelhantes aos da gripe suína, mas depois que fez os exames descartou a possibilidade. Ela estava acostumada a viajar sozinha? Não. Foi a primeira vez também que ela foi para o exterior. Ela era filha única e muito apegada aos pais. Ela ligava todos os dias para falar com eles. O que os médicos que estavam no voo disseram à vocês no desembarque? Que quando foram socorrê-la ela já estava roxinha e com dificuldades para respirar.