´Cuidadores são pessoas generosas´

- O Estado de S.Paulo

Marleth Silva, jornalista e autora do livro ´Quem vai cuidar dos nossos pais?´

O que é melhor: o filho cuidar do velhinho ou contratar alguém para desempenhar a tarefa? No começo, o parente pode cuidar do idoso, mas uma hora terá de voltar ao trabalho e, aí, irá precisar da ajuda de um cuidador. Ele pode ser outra pessoa da família com tempo disponível ou até uma empregada doméstica. Quais as diferenças entre cuidador e enfermeiro? O enfermeiro, além de possuir mais conhecimento técnico, cobra mais caro pelo serviço. Enquanto um cuidador contratado recebe cerca de R$ 800 por mês, o enfermeiro não trabalha por menos de R$ 1.500. Às vezes, quando a doença evolui, o cuidador pode precisar da ajuda de um enfermeiro. O que move um familiar a cuidar de um velhinho mesmo sem receber nada por isso? Em geral, são pessoas generosas. Costumam pensar ´já que a pessoa precisa de ajuda, tenho de ajudar´. Nem todo mundo acha natural ser cuidador. Cuidar dos pais velhos é uma tradição no Brasil? Na sociedade brasileira atual não é imperativo. Geralmente isso é decidido entre a família e, quase sempre, a tarefa acaba ficando com a filha. Para muita gente ainda é doloroso mandar o velho para uma clínica de repouso - sendo que às vezes o idoso prefere assim, pelos cuidados e pela atenção que recebe. E há também as casas de repouso que mais parecem hotéis de luxo, com serviço de flat, área de convivência. Essa realidade é mais observada nos Estados Unidos, mas é uma questão de tempo para se popularizar no Brasil.