CSN pode ser multada por vazamento de óleo

Talita Figueiredo, RIO - O Estado de S.Paulo

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) pode ser multada por não ter notificado o Instituto Estadual do Ambiente (Inea), da Secretaria Estadual de Meio Ambiente, de um vazamento de óleo da Usina Presidente Vargas no Rio Paraíba do Sul, em Volta Redonda, no domingo. Segundo a secretária estadual de Meio Ambiente, Marilene Ramos, o órgão soube do vazamento por denúncias de moradores. Cerca de 85% da água que abastece o Estado vem do Paraíba do Sul. Até a noite de ontem, não se sabia a toxicidade nem a quantidade de material que tinha vazado, mas não foi registrada mortandade de peixes. Marilene considerou grave o fato de a CSN não ter comunicado a superintendência de meio ambiente em Volta Redonda no momento em que detectou o problema. Ela também criticou a incapacidade da empresa, "que já passou por processo de melhorias ambientais enorme", não conseguir detectar e controlar o vazamento. A CSN informou que o vazamento foi estancado.