Brasil confirma 4 casos de gripe suína; outros 15 são investigados

Lígia Formenti - O Estado de S.Paulo

Registros foram em SP (2), MG e RJ, onde paciente está internado; ministro pede tranquilidade à população

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, confirmou ontem os primeiros quatro casos de gripe suína no Brasil. São dois de São Paulo, um no Rio e um em Minas. Todos contraíram a doença no exterior - três em viagem ao México e um aos Estados Unidos. Há 15 dias, o México, país mais afetado pela doença, anunciou os primeiros casos e mortes provocados pelo vírus A (H1N1) (mais informações na pág. A18). Apenas o paciente do Rio está internado. Outros 93 casos suspeitos foram descartados e amostras de mais 15 pacientes estão em análise - os resultados podem sair hoje. Temporão disse que, no momento, não há evidência de circulação do vírus A (H1N1) no País. Não houve registro de transmissão de uma pessoa para outra dentro do Brasil. Todos os pacientes passam bem, incluindo o internado no Rio. Segundo o Ministério da Saúde, eles são adultos jovens. Apesar da confirmação dos casos, o ministro reafirmou não haver motivo para que o sistema de vigilância seja alterado. Disse que tudo está sob controle e que a política adotada até o momento mostrou ser eficiente. "O governo brasileiro já vem tomando todas as precauções e medidas necessárias para conter a doença", disse. "Estamos preparados. Fiquem tranquilos, a situação está sob controle", reiterou o ministro. Desde a semana passada, o ministro vinha afirmando que a confirmação de um caso no País era inevitável. "O importante é que o País está preparado para tudo", disse pela manhã, antes de receber os exames. Ele alertou para que a população não corra às farmácias em busca de antigripais: "Não funcionam no combate à doença e podem impedir a identificação dos sintomas." Também disse ser desnecessário o uso de máscaras. O ministério adotou, desde o aparecimento de casos suspeitos, o isolamento dos pacientes. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) tem como localizar quem viajou com os doentes, pois vinha recolhendo guias de declaração de bagagens em voos internacionais. Casos O primeiro paciente com gripe suína desembarcou em São Paulo, de voo procedente do México, no dia 22 de abril. Ele começou a manifestar sintomas no dia 24 e logo foi internado. "Este paciente não corre risco de contaminar as pessoas", disse o ministro. O segundo doente a desembarcar no País chegou a Minas e, de acordo com o governo, também não corre risco de infectar outras pessoas. Os familiares dos demais pacientes continuam sendo monitorados. Por enquanto, nenhum deles apresentou sintoma da doença. A realização dos testes no material colhido de pacientes suspeitos era aguardada com expectativa desde a semana passada. O exame foi possível depois de a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) enviar kits para a realização dos testes. Como os dados sobre o genoma do vírus H1N1 já estavam disponíveis desde a semana passada, funcionários dos laboratórios se prepararam. Quando o insumo chegou, eles iniciaram o teste. O ministro afirmou que a vigilância de portos, aeroportos e terrestre será mantida. Esta semana, depois da confirmação de um caso na Colômbia, o sistema nas fronteiras secas foi reforçado. Temporão pediu para que todas as pessoas que vierem de países afetados ou que estejam com sintomas da doença e tenham tido contato com outras consideradas suspeitas procurem um serviço de saúde. "Estamos mantendo total transparência de nossas ações", disse. Temporão observou que qualquer pessoa pode acompanhar os acontecimentos relacionados à doença pelo site do Ministério da Saúde (www.saude.gov.br). Dúvidas podem também ser esclarecidas pelo Disque-Saúde (0800-611997).