As causas da obesidade infantil

- O Estado de S.Paulo

Entrevista com Antonio Roberto Chacra, professor titular de endocrinologia da Unifesp

Qual a principal causa da obesidade infantil? O fator ambiental. Além da alimentação inadequada e de pouco ou nenhum exercício físico, contribui para o aumento da obesidade o êxodo rural. Um menino que mora em um apartamento não vai precisar andar mais, porque vai para a escola de carro, de ônibus ou metrô. Em casa, ele vai ver TV ou jogar videogame. Antes, ele ficava na rua, jogava bola, brincava de amarelinha, de pega-pega ou de esconde-esconde. Que tipo de alimentação a criança obesa tem? Come produtos industrializados, que a mãe traz do supermercado. Um saquinho de salgadinho custa por volta de um real e eles comem o pacote inteiro. Antigamente, as mães faziam o próprio alimento. Elas guardavam os sequilhos ou os pãezinhos feitos em casa em vasilhas fechadas, depois, repartiam o número certo para cada filho. Aí está a grande diferença. Como controlar a alimentação do filho se a mãe sai para trabalhar? As mães sentem culpa de deixar os filhos em casa o dia inteiro. Então, elas enchem os armários com todo tipo de alimentação. Já que não estão presentes, as mães pelo menos afagam os filhos dando a eles produtos industrializados. A criança sente falta de afeto e fica ansiosa. Daí, ela come mais, ela come depressa, ela come errado. Por que algumas crianças são gulosas desde pequenas? Às vezes, a professora ou a mãe de um colega que faz aniversário, quando vai cortar o bolo, já oferece um pedaço grande para o gordinho e um pedaço bem menor para o magrinho. E assim o menino gordo continua sendo gordo e o magro será magro para sempre. Aí, dá para chegarmos àquela frase óbvia: os magros são magros porque comem pouco e os gordos são gordos porque comem muito. O que é uma verdade. Como agir quando a criança já está gordinha? A medida mais discreta para esse caso é os pais procurarem uma nutricionista que irá orientar como poderá ser feita a alimentação da criança gordinha. Os pais nunca devem ficar bravos ou rotularem esse filho que está ficando gordo. Aí, será pior. A criança poderá se tornar ansiosa e também, para desafiar os pais, pode dizer: "Já que estou gordo, vou comer bastante e pronto". Isso é muito comum nos adolescentes: querem ser diferente dos pais para se auto-afirmarem.