Aprecie com moderação

Agencia Estado - O Estado de S.Paulo

Quinto maior produtor mundial de chocolate, o Brasil deve produzir este ano um volume correspondente a mais de 100 milhões de ovos de Páscoa, segundo estimativas da Associação Brasileira da Indústria de Chocolate, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados (Abicab). Só o estado de São Paulo é responsável por 50% do consumo nesse período. Mas, embora atinja seu ápice na Páscoa, o reinado do chocolate não se restringe à Semana Santa, nem aos dias de hoje. Na época do rei Luis XIII, os convites para o chocolate quente de Sua Majestade, a infanta Ana da Áustria, eram disputados a tapa. A lolita real adorava chocolate e trouxera da Espanha tudo o que era necessário para a sua preparação. Mas se ela experimentasse a versão original do tchocolath, certamente faria uma careta. Amarga e apimentada, a bebida preparada pelas tribos da América Central levava uma mistura de vinho ou purê de milho fermentado, adicionado com especiarias e pimentão. Tinha poderes afrodisíacos. Durante a 1ª Guerra Mundial, tabletes de chocolate enriquecidos com outras substâncias nutritivas, fabricados pela marca americana Hershey, circulavam entre os soldados. Se para os homens o chocolate é uma fonte de energia, para as mulheres vale como um poderoso antidepressivo durante a TPM. Quando a menstruação está próxima, o desejo pelo doce acontece por conta da diminuição do neurotransmissor serotonina, que dá a sensação de relaxamento. O açúcar do chocolate, então, compensa a falta dessa substância, que promove o bem-estar. A ansiedade pelo consumo de chocolate tende a aumentar também logo depois da ovulação, quando o nível do hormônio progesterona diminui. No entanto, quem toma anticoncepcionais não passa por essas flutuações hormonais e, de acordo com os pesquisadores, essas mulheres consomem menos chocolate. UM ALIADO Apesar de ser quase sempre apontado como o grande vilão das dietas, em doses moderadas, o chocolate faz bem à saúde, segundo pesquisas recentes. De acordo com a médica Marcia Franckevicius, especialista em medicina bioquímica e biomolecular do Life Extension Institute, o chocolate preto (com até 35% de cacau) pode reduzir os riscos de câncer e patologias cardiovasculares, graças aos efeitos antioxidantes dos polifenóis, que impedem o acúmulo de gordura nas paredes dos vasos sanguíneos . ?Em sua composição, encontramos ainda o magnésio, que reduz o efeito do estresse; o cromo, que facilita a entrada da glicose na célula; a teobromina, que estimula o sistema central; a endorfina, que reduz a dor e aumenta a clareza cerebral; e o triptofano, que uma vez no cérebro, aumenta a produção de serotonina.? O ideal, segundo Márcia, é aliar o poder do cacau a outros alimentos que fazem bem à saúde, entre eles, os que contêm cálcio (leite e derivados); os que são fonte natural de fósforo, cobre, zinco e vitamina B1 (nozes pecã) e os que têm ômega 3 (peixes como sardinha e salmão), que auxiliam na diminuição dos níveis de triglicerídios e colesterol total. Já o excesso de chocolate - especialmente o preto - pode causar enxaqueca. O alimento é rico em beta-feniletilamina, uma substância vasoconstritora. Em resposta a essa vasoconstrição, o organismo promove a dilatação dos vasos sanguíneos, o que deflagra a crise. A dor tende a aparecer entre três e vinte horas depois da ingestão do chocolate. Segundo Jocelem Salgado, professora titular de Nutrição do Departamento de Agroindústria, Alimentos e Nutrição da Universidade de São Paulo (USP), a capacidade de o chocolate estimular a produção de serotonina é o que ajuda no combate à depressão e à ansiedade. Além disso, o mesmo contém substâncias estimulantes, como a cafeína, a teobromina e a tiramina, que agilizam o raciocínio. ?Levar uma barra de chocolate para as provas do vestibular é uma idéia sábia, uma vez que os estimulantes contidos nele deixam o cérebro do estudante mais esperto.? A professora acrescenta que, recentemente, a Escola de Saúde Pública de Harvard concluiu que as pessoas que comem chocolate vivem um ou dois anos a mais do que as que não comem. E, segundo o British Medical Journal, o chocolate beneficia o sistema imunológico, reduzindo a probabilidade de tumores. Mas, atenção: nada de se entusiasmar e exagerar na dose! Uma única barra de chocolate de 100 gramas contém 520 calorias, o equivalente ao que é fornecido por um sanduíche ou um bife à milanesa. ?O chocolate é bastante energético e, se essa energia não for utilizada, será armazenada como gordura. A longo prazo, trará conseqüências sérias para o coração, fazendo com que ocorra o oposto do que as pesquisas apregoam.? Segundo Jocelem, pessoas obesas ou com nível de colesterol alto não devem comer mais do que um tablete pequeno por dia, ou seja, 30 a 50 gramas. Algumas pesquisas atribuem à substância teobromina (presente no cacau) a atração fatal exercida pelo chocolate, o que justifica o comportamento dos chocólatras. Outros apontam a feniletamina (a mesma substância que o cérebro libera quando a pessoa está apaixonada) como a vilã. Mas, para Jocelem, a pessoa fragilizada emocionalmente sempre é mais suscetível aos vários tipos de vícios em geral. NA BELEZA Segundo a dermatologista Patricia Rittes, cada vez mais as grandes multinacionais de cosméticos acrescentam o chocolate em suas fórmulas. ?O potencial de antioxidação do cacau é comparável aos benefícios do chá verde e, teoricamente, pode prevenir os danos causados por radicais livres ao colágeno, elastina e outras proteínas na pele.? Os tratamentos estéticos à base de chocolate propiciam brilho e maciez. Talvez isso ocorra em função da manteiga de cacau, gordura extraída dos grãos do fruto, explica a dermatologista. Ela lembra que não há estudos científicos que comprovem a associação da acne ao consumo de alimentos - em especial, o chocolate. A gama de cosméticos à base de chocolate é imensa. Há desde sabonetes e hidratantes a linhas completas para o tratamento dos cabelos. A Emoly lançou a linha capilar Try Me, formulada com cacau e amêndoas, composta por xampu (R$ 7,60), condicionador (R$ 7,60), máscara mousse (R$ 9,30), defrizzante de chocolate branco (R$ 9,30) e serum glossing anti-frizz (R$ 10,80). A Embelleze lidera o ranking da beleza movida a chocolate. A marca comemora o crescimento na venda dos produtos para cabelos da linha Novex, como cremes de hidratação, xampu sem sal, condicionador, kit para escova e até mesmo uma calda nutritiva de chocolate. Segundo Amélia Martins, coordenadora técnica de tratamento da marca, o chocolate nutre a fibra capilar e combate o ressecamento causado pelo ar condicionado, sol e vento, deixando os fios sedosos. ?Em novembro foi lançada a escova de chocolate branco, ideal para cabelos claros e loiros. As colorações também têm no chocolate o seu maior sucesso. A cor 6.7 chocolate é a mais vendida?, fala. Também voltada para o tratamento de cabelos, a Truss Hair Therapy está lançando a linha Chocolate Gold, composta por xampu (limpa, hidrata e deixa um suave perfume de chocolate), condicionador, hair protector (produto sem enxágüe, para ser usado com secador, chapinha ou baby liss) e máscara capilar (prolonga em casa os efeitos da hidratação feita no salão de beleza). Preços: xampu, R$ 50; condicionador, R$ 38; Hair Protector, R$ 48, e máscara, R$ 50. CACAU E OURO A esteticista Rosely Siqueira é famosa na cidade pela sua máscara facial de chocolate e ouro. Ela estava em Paris quando observou que, na composição de uma determinada máscara de argila, havia chocolate. ?Fiquei curiosa e pedi para o meu químico desenvolver uma máscara com todas as propriedades do cacau.? O produto, lançado e patenteado em 2001, é um sucesso entre as clientes. Segundo ela, a combinação do chocolate com o ouro é perfeita, pois o alimento é rico em nutrientes para a pele, enquanto o ouro, com qualidades antiinflamatórias, potencializa a ação do cacau. ?O resultado é visível na hora. Clareia a pele, dá brilho e maciez.? O tratamento (recomendado para rosto, colo e pescoço) consiste numa massagem facial; aplicação de uma polpa de cacau (rica em polifenóis), em movimentos suaves e rotativos para eliminar as células mortas; uso de vapor frio e de um gel musse, finalizando com a máscara de chocolate e ouro. Todo esse processo custa R$ 240, e a máscara (vendida avulsa), R$ 197. Apostando no efeito sensorial dos cosméticos, a Antídoto lançou a linha Vanilla & Chocolate, valorizada pelas vitaminas e sais minerais da especiaria e o efeito emoliente do cacau. É composta por xampu, condicionador, óleo hidratante, sabonete líquido, água refrescante, loção hidratante, sais de banho e deo colônia. Complementa a linha o sabonete em barra de chocolate (igualzinho a um tablete) e o sabonete esfoliante que leva amêndoas. Há ainda um spray de ambiente de chocolate e o gloss labial, com cheirinho de chocolate. Preços entre R$ 8,90 e R$ 33,80. Pensando no clima seco e nas variações de temperatura que agridem profundamente a derme, a Sther Cosméticos lançou a loção Suavity Chocolate, hidratante que perfuma e dá maciez. Preço: R$ 5. Exclusividade das lojas Renner, a linha Alchemia de Chocolate é composta por óleo desodorante corporal e massagem, loção hidratante, sabonetinhos em barra e líquido, nas versões chocolate branco ou preto. Preços: a partir de R$ 2,90.