Antena de celular não prejudica a saúde, diz estudo

The Guardian, Londres - O Estado de S.Paulo

Teste nega, a curto prazo, perigo de campos eletromagnéticos

A curto prazo, as antenas de telefones celulares não prejudicam a saúde, concluiu um estudo com pessoas que relatavam sintomas quando próximas desses dispositivos. O teste também derrubou a teoria de que os campos eletromagnéticos gerados pelos celulares ou estações base seriam perigosos. Os pesquisadores usaram nos testes antenas de celulares 2G (de segunda geração) e 3G (de terceira geração) num laboratório montado para esse fim. Nem participantes nem pesquisadores sabiam quando o equipamento estava ligado. O laboratório foi projetado para reproduzir a potência irradiada por uma antena de celular a 20 ou 30 metros de alguém. "Tivemos muitas evidências de que as pessoas não conseguiam detectar os sinais", afirmou Elaine Fox, da Universidade de Essex, na Inglaterra, que conduziu o estudo, publicado no jornal Environmental Health Perspectives. Dos 159 participaram do experimento, 44 diziam ser sensíveis a equipamentos eletrônicos. No início do teste, eles eram informados quando o campo elétrico era acionado. Nessas condições, aqueles sensíveis à eletricidade reportaram sensações desagradáveis, como dores de cabeça e náusea. Em três testes seguintes, os pesquisadores os submeteram à radiação das antenas de celulares G2 e G3, ou a nenhuma radiação. Dessa vez, eles não sabiam quando o equipamento era acionado. Dois participantes sensíveis à eletricidade e cinco do grupo de controle identificaram corretamente se a eletricidade estava ligada. A equipe também mediu o ritmo cardíaco, pressão sanguínea e o suor dos participantes, que aumentavam quando experimentaram sensação desagradável ou de ansiedade. Naqueles sensíveis à eletricidade, os níveis subiram mais, mas não mudaram quando a radiação G2 ou G3 foi acionada. Para os grupos contrários às antenas, o resultado não é válido, uma vez que 12 voluntários sensíveis a eletrônicos abandonaram o experimento. "Eliminando mais de 20% do grupo a integridade do estudo é questionável", afirmou o grupo Mast Sanity. Outros, no entanto, se impressionaram. "A equipe de Essex realizou um teste muito bem projetado, o melhor até hoje", disse o grupo Powerwatch. Para Elaine Fox, os cientistas e as pessoas afetadas devem procurar as causas reais dos sintomas. "Se as pessoas se convencem de que sofrem por causa das antenas, elas não investigam outras causas", disse. Entre aqueles sensíveis a eletrônicos, muitas apresentam sintomas como os da gripe: dor de cabeça, olhos lacrimejantes ou sensação de calor.