''A técnica não é ilegal, não é irregular''

Bruno Tavares e Fabiane Leite - O Estado de S.Paulo

Vicente Abdelmassih: ginecologista e filho do especialista em reprodução assistida Roger Abdelmassih; parceiro de trabalho do pai nos últimos 12 anos, médico defendeu uso da transferência de citoplasma na clínica

Filho e parceiro de trabalho do especialista em reprodução assistida Roger Abdelmassih, o ginecologista Vicente Abdelmassih defendeu ontem o pai, preso na última segunda-feira sob acusação de praticar 56 estupros. Vicente, que há 12 anos atua na clínica Abdelmassih, reiterou que as mulheres que acusam seu pai poderiam estar sob efeito de um anestésico - tese da defesa apresentada em entrevista ao Estado, em janeiro - e pediu provas das acusações. "Não estou querendo falar que essas pacientes estejam mentindo, só quero que a Justiça comprove." Assinalou ainda que a técnica de fertilização utilizada na clínica, denominada transferência de citoplasma, não é ilegal. Roger Abdelmassih é também investigado por suposta manipulação genética ilegal. "Não é ilegal, não é irregular, ela simplesmente não consta da norma do Conselho Federal de Medicina", defendeu Vicente, que anunciou ainda o afastamento do pai das atividades, caso deixe a prisão. Como o sr. encara as acusações? Estamos tristes. Eu principalmente, como filho, tenho de lamentar, mas tocar em frente. A clínica é uma empresa grande, tem pacientes fazendo o tratamento e temos de continuar nosso trabalho. O movimento foi prejudicado? Na primeira semana as marcações ainda foram normais, mas logicamente que, com esse ataque massivo da imprensa, o número de consultas novas caiu. Mas com certeza a gente retoma. A intenção de seu pai, quando for solto, é de não mais clinicar. Já era antes mesmo de o Conselho Regional de Medicina suspender o registro dele. Já era um consenso do dr. Roger e equipe o afastamento para ele cuidar da defesa. Em entrevista ao ?Estado?, ele mencionou que um anestésico poderia gerar comportamento amoroso das pacientes. Por que outros médicos não têm o mesmo relato? Talvez pelo número de pacientes tratadas. Mas o que a gente pode comprovar na prática é que se trata de um sedativo de ação rápida, a paciente sai acordada, mas causa sensação de conforto. Algumas pacientes mandaram e-mails relatando que sentiram isso e que ficaram envergonhadas. Por qual motivo mulheres que não se conhecem estariam fazendo essas acusações? Elas não se conhecem, mas é muito fácil criar um vínculo pela internet. Tudo começou em 2008 com e-mails ofendendo a família inteira. A partir daí existiu a criação de perfil no Orkut querendo destruir a imagem do dr. Roger e aí foi aumentando até que ficamos sabendo que o Ministério Público estaria colhendo depoimentos. Não estou querendo falar que essas pacientes estejam mentindo, só quero que a Justiça comprove que isto aconteceu realmente. Por que geralmente não havia, segundo as vitimas, acompanhante nas consultas? Para aspirar um óvulo a paciente tem de entrar no centro cirúrgico e dentro tem de ter anestesista, médico, enfermeira. É impossível que ocorra alguma coisa no centro. Além disso, quando acaba, a paciente sedada acorda e sai andando. É muito difícil que todos esses relatos que foram veiculados ... tem um grau desse exagero que aconteceu. A técnica de transferência de citoplasma de óvulos é considerada de baixa eficácia e ainda existe o risco de mistura do material genético das pacientes. Por que a clínica utiliza esse método? Utiliza cada vez menos. Quem precisa são mulheres de idade mais avançada. O óvulo, com a idade, vai se deteriorando e a transferência de citoplasma pode auxiliar nisso, mas as taxas de gravidez comparadas com o uso de óvulos doados não dá para comparar. Por isto se faz cada vez menos, mas não é ilegal, não é irregular, ela simplesmente não consta na norma do Conselho Federal de Medicina. O dr. Roger fez defesa da sexagem (escolha do sexo do bebê). A clínica usa essa técnica? Não. A biópsia do embrião é feita para identificar alterações cromossômicas. O que acontece é que nessa análise o par do cromossomo sexual também é analisado, porque ele é o que mais causa alterações. Foi um assunto debatido no conselho, ele já foi chamado por causa dessas afirmações, é uma coisa muito pessoal. Por que a clínica não faz exames diagnósticos de outras doenças que podem explicar a infertilidade e passa logo para as técnicas de reprodução assistida? Normalmente o paciente que vem aqui já é uma paciente que não é virgem de tratamento. Se o paciente é azoospérmico (tem ausência de espermatozoides), por que ficar investigando se muitas vezes você vai saber a causa e não vai conseguir tratar, a não ser fazendo a fertilização? Pegamos casos aqui de pacientes que estão há 15 anos tentando engravidar, acha que ela vai querer fazer tratamento mais convencional, tratar endometriose (doença que pode causar infertilidade) com remédio, com cirurgia? Dependendo da idade da paciente você tem de lutar com as ferramentas que tem. Não seria o caso de a clínica investigar por conta própria? Logicamente se o casal reunir condições para isto, de fazer análise prévia, de ver se podemos tratar antes clinicamente a infertilidade, é lógico que vamos fazer. Por que a clinica continuava anteontem marcando consultas com o dr. Roger se ele estava com registro suspenso e preso? Existiu um equívoco da secretária, na verdade as consultas vão poder ser marcadas para a equipe médica. A clínica está em funcionamento, tem pacientes no meio do tratamento, não somos só eu e o dr. Roger, tem mais médicos. A clínica está funcionando normalmente se a cliente quiser marcar uma consulta com a equipe.