YouTube muda regra de anúncios nos vídeos e gera revolta em usuários e youtubers

- O Estado de S.Paulo

Site passou a desmonetizar vídeos que falem sobre sexo, drogas e até sobre política e desastres naturais

YouTube mudou regras de monetização de vídeos de acordo com o conteúdo.

YouTube mudou regras de monetização de vídeos de acordo com o conteúdo. Foto: Divulgação

Desde a noite da última quarta-feira, 31, uma mudança na política de monetização de vídeos no YouTube veio à tona após a reclamação de alguns youtubers dos Estados Unidos. De acordo com as novas regras, vídeos com conteúdo "pouco apropriado para anunciantes" não terão mais os anúncios no início e, portanto, não vão gerar lucro para os canais. 

A política já havia sido anunciada no ano passado, mas parece que só agora está sendo aplicada. O youtuber Philip De Franco foi o primeiro a falar sobre o assunto, e revelou, via Twitter, que 12 de seus vídeos foram desmonetizados sem aviso prévio.

Depois disso, a hashtag #YouTubeIsOverParty tomou conta do Twitter americano, e é um dos tópicos mais comentados desta quinta, 1, e outros youtubers também expuseram problemas relacionados à mudança. 

Entre os conteúdos que são considerados "não amigáveis para anunciantes", estão conteúdo sexual, como nudez e humor relacionado a sexo; apologia às drogas; discurso de ódio e temas controversos, como guerra, política, desastres naturais e tragédias. A medida causou revolta nas redes e muitos querem uma posição da plataforma de vídeos. 

"Parece que o YouTube vai tirar a maior parte da minha publicidade a partir de agora. Ah bem."

"Atualização: Ao menos mais 12 dos meus vídeos foram atacados e eu nem acabei.  Isso [a imagem] pode ser uma parte da razão."

"Eu estou confuso porque meu conteúdo não é amigável para os anunciantes, mas 'Garoto Sírio coberto em seu próprio sangue' é..."

Confira algumas das reações: