R. Kelly responde a acusações de manter seis mulheres em cativeiro

Redação - O Estado de S.Paulo

O rapper negou as afirmações dos pais das jovens e prometeu limpar seu nome

O rapper R. Kelly está sendo acusado de manter mulheres presas em espécie de 'culto'.

O rapper R. Kelly está sendo acusado de manter mulheres presas em espécie de 'culto'. Foto: REUTERS/Andrea de Silva

O rapper norte-americano R. Kelly negou as acusações divulgadas em reportagem do BuzzFeed News de que ele mantém seis mulheres sob cárcere privado em duas propriedades nas cidades de Chicago e Atlanta, nos Estados Unidos. A revista People entrou em contato com os representantes do rapper, que divulgaram o seguinte comunicado:

“O senhor Robert Kelly está alarmado e incomodado com as acusações envolvendo seu nome. O senhor Kelly nega veementemente tais alegações e irá trabalhar ostensivamente para achar os responsáveis pelas acusações e limpar seu nome”, diz o breve documento.

Na extensa reportagem publicada na última segunda-feira, 17, os pais das mulheres supostamente mantidas em cativeiro e ex-funcionários do rapper confirmam as histórias, reiterando que o artista controla o que as elas vestem, comem, onde vão e como devem se comportar, além de manter relações sexuais com elas.  Os ex-funcionários dizem que as mulheres, que têm entre 18 e 31 anos, vivem em residências em Chicago e Atlanta, alugadas por R. Kelly.

Aos olhos da lei, porém, as mulheres não estão desaparecidas, e, como são maiores de idade, não podem ser obrigadas a voltar. Entretanto, os pais lutam para provar que o cantor abusa das mulheres psicologicamente.

Essa não é a primeira vez que o rapper é alvo de acusações do tipo. Em 2008, ele foi absolvido de 14 acusações de pornografia infantil, após a polícia ter encontrado um vídeo em que ele tinha relações sexuais com uma menor de idade.

Veja personalidades que já se envolveram em casos de assédio ou abuso sexual.