‘Não quero que minha filha seja inferiorizada’, diz José Loreto

Redação - O Estado de S. Paulo

Ator e sua esposa, a atriz Débora Nascimento, não vão diferenciar sexos de brinquedos da filha 

Os atores José Loreto e Débora Nascimento

Os atores José Loreto e Débora Nascimento Foto: Instagram / @joseloreto

Com a cabeça na filha que nascerá logo mais - e se chamará Bella -, o ator José Loreto afirmou, em entrevista à revista Claudia da edição de novembro, que quer mais igualdade entre homens e mulheres. 

“Não quero que minha filha seja inferiorizada, que receba menos do que um homem no seu trabalho, que seja vítima de absurdos, como os que estão acontecendo hoje, em que um cara esfrega o pênis na mulher dentro de um ônibus”, afirma ele. “Isso ainda parece normal para muitas pessoas”, diz.

O próprio Loreto admite dificuldades em desconstruir estereótipos de gênero. Exemplo: ele diz ter pensado que ia ter um filho homem após sua esposa, a atriz Débora Nascimento, pôr um tênis vermelho sobre seu travesseiro. “Olha como sou machista. Na hora, pensei que era um menino! Se fosse um par de sapatilhas, seria menina”, conta.

“A gente tem que repensar um monte de coisas que foram impregnadas culturalmente na nossa infância, na nossa adolescência”, disse o artista, que se prepara para a paternidade lendo a escritora nigeriana e feminista, Chimamanda Ngozi Adichie. 

Loreto contou também que ele e Débora não vão diferenciar sexo dos brinquedos de Bella. “Por que uma menina não pode se fantasiar de Batman? E um menino de Branca de Neve? Eu era repreendido pelos meus pais quando pegava as bonecas das minhas irmãs”, lembra. 

Ele ressaltou também que sempre quis ser pai e apenas esperava o tempo de Débora. “Quando a Bella nascer, vou ter uma semana de licença e pronto, volto a trabalhar. Já ela terá de interromper a carreira, no auge, para dar à luz. É por uma razão mais do que especial, claro, porém o peso maior acaba sendo para ela”, diz.