Michel Temer recita poema que escreveu em guardanapo

- O Estado de S.Paulo

Presidente já publicou livro; seus versos renderam paródias no Twitter

Temer escreveu nova poesia durante voo 

Temer escreveu nova poesia durante voo  Foto: DIDA SAMPAIO/ESTADAO

O presidente Michel Temer acaba de revelar mais uma de suas aventuras com as palavras. Depois de um livro de poesias já publicado, ele revelou que continua escrevendo, mesmo depois de assumir o Executivo.

Em entrevista à Rádio CBN na manhã desta sexta-feira, 10, ele recitou uma poesia que escreveu em um guardanapo há poucos dias, dentro de um avião:

"Não percebeu, mas uma semente pousou em seu coração, germinou, cresceu em galhos, folhas e flores. Atravessou os caminhos do seu corpo: boca, olhos, ouvidos, olfato, tato, todo os sentidos tomados pela mão pousada sobre a mão..." Neste momento, ele se confunde e pede alguns segundos antes de continuar.

Ao encontrar a parte em que havia parado: "pela proximidade da respiração, pelo leve roçar dos dedos, pelo olhar que penetrava, pelo perfume que dela vinha", continua, e pausa novamente: "não é? Temos uma poesia, né?"

Retoma: "essa planta assim nascida tinha nome: paixão. Que não pode se manter porque o objeto desse amor não tinha a mesma sensação. Sem correspondência, a planta feneceu, percorreu de volta todos os caminhos. Aninhou-se em seu coração. Voltou a ser, simplesmente, semente."

As poesias do presidente viraram bricandeira no Twitter ainda no ano passado. A conta 'michael termer poeta' publica paródias de poesias conhecidas e criações próprias, envolvendo a política brasileira e normalmente em tom macabro. Veja alguns exemplos: