Lea T e o pai Toninho Cerezo se emocionam em entrevista

Redação - O Estado de S.Paulo

Os dois participaram do programa ‘Conversa com Bial; essa foi a primeira vez que falaram juntos ao público

Lea T e seu pai, o ex-jogador Toninho Cerezo, se emocionaram ao darem entrevista na edição da última terça-feira, 4, do 'Conversa com Bial'

Lea T e seu pai, o ex-jogador Toninho Cerezo, se emocionaram ao darem entrevista na edição da última terça-feira, 4, do 'Conversa com Bial' Foto: Luciana Prezia / Estadão

Na edição da última terça-feira, 4, do programa Conversa com Bial, a modelo Lea Cerezo (conhecida como Lea T) e seu pai, o ex-meia da seleção brasileira Toninho Cerezo, deram uma entrevista juntos pela primeira vez. Dentre os vários temas abordados, falaram sobre o processo de aceitação da transexualidade de Lea pela família e os desafios que ainda vivem diariamente por conta disso.

Quando a modelo anunciou para a família que era transexual, ela já havia participado de uma campanha publicitária da Givenchy, mas mesmo assim revelou que o fez por medo. “Eu convoquei todo mundo para contar. Eu tinha que achar um emprego e, na época, não tinha emprego para transexual. O que eu escutava das outras meninas é que eu não teria chance, que eu teria que ser prostituta, então fiquei apavorada", disse.

O próprio início da carreira como modelo veio por necessidade e não por vocação. "Eu nunca quis ser modelo. Mas o que aconteceu comigo foi casual, eu precisava desse dinheiro, não sabia se minha família iria aceitar. Eu não queria ser prostituta, então eu vivi essa realidade. É muito forte você saber que corre o risco de ter que vender seu corpo porque a sociedade não te dá o direito de trabalhar, de ser uma pessoa com a dignidade que você quer ter. Não que quem faça isso não tenha, mas eu passei por esse aperto", revelou Lea.

Toninho Cerezo, que vem de um meio bastante machista, o do futebol, revela ter ficado confuso com a transexualidade de Lea no início. "Eu pensava que Lea ia ser gay e pronto. E não entendia o porquê de ela ser mulher. Será que eu tinha feito algo errado? Num primeiro momento, você imagina que sua filha vai sofrer, é a única coisa que passa na cabeça", falou. Lea pensou que poderia ser rejeitada pela família, assim como acontece com muitas outras pessoas transexuais. Toninho se emocionou e completou: "Você pensou com a cabeça só sua, porque a sua família não ia te abandonar nunca”.

O agora técnico de futebol também revelou que começou a entender o mundo da sua filha quando leu uma entrevista dela. "Eu vi uma reportagem dela em que ela dizia que se olhava no espelho e não se sentia bem, e eu me olho e me sinto superbem. Eu imagino ela se olhando e dando essa declaração. Então, mexeu muito comigo".

Você pode conferir a reportagem completa de Lea e Toninho Cerezo aqui.