Joe Jonas finalmente se sente como ele mesmo

Valeriya Safronova - The New York Times

'Quando você vive amarrado por tantos anos, no momento em que está livre, a primeira coisa é se tornar um rebelde', disse o cantor

Joe Jonas com o músico Cole Whittle

Joe Jonas com o músico Cole Whittle Foto: Natalie Keyssar/The New York Times

Usando tênis Dior vermelho, um jeans preto Dior e uma malha oliva, Joe Jonas entrou no Clockwork Bar em Lower East Side e pediu uma tequila com soda.

Era 17 de novembro, véspera do lançamento do álbum de estreia da sua banda, DNCE. Jonas, cantor e líder do grupo, tinha acabado de realizar uma performance surpresa perto da Pen Plaza com seus colegas (incluindo Cole Whittle, baixista e tecladista, que veio se juntar a Jonas vestido de uma maneira que chamava atenção, que incluía um vestido abotoado na frente e um avental.

"Estamos a mil por hora neste momento", disse Jonas, 27 anos, sem se perturbar com o pedido de identificação feito pelo barman.

Cole Whittle, com cabelo estilo moicano, não parava de se mover e disse que: "Eu vomito depois de cada show". Felizmente teve o cuidado de repetir o ritual antes de chegar ao bar.

Dependendo da sua idade e preferências musicais, você deve lembrar de Joe Jonas como um terço dos antigos Jonas Brothers, banda de garotos que fazia explodir de felicidade seus fãs adolescentes e era conhecido pelos anéis de pureza que usava e sua promessa de abstinência. Aliás, todos os três se comprometeram a isso nos seus primeiros anos. (Kevin está casado com dois filhos; Joe escreveu sobre sexo pela primeira vez aos 20 anos; Nick deixou de usar o seu aos 22).

Na verdade, a vida amorosa cercada de muita publicidade de Joe Jonas, normalmente envolvendo mulheres famosas, foi tema de um episódio de "Watch What Happens Live", da Bravo, em julho. O apresentador, Andy Cohen, nomeou três mulheres que Jonas namorou: Gigi Hadid, Taylor Swift e Demi Lovato. E pediu para ele dizer com qual delas se casaria, qual mataria e com qual faria sexo.

"Não queria responder à pergunta. No caso de Demi, casei-me com ela porque é uma das minhas melhores amigas. E provavelmente tínhamos uma relação aberta. Quanto a Taylor Swift e Gigi Hadid, a escolha era qual delas eu mataria. Nesse ponto da minha vida, estava louco por causa da separação com Gigi. Estava ainda naquela fase rancorosa". E assim, Jonas, que mais recentemente vinha se relacionando com a atriz Sophie Turner, deu um pontapé em Hadid.

Mas no Clackwork Bar, o tema da noite não tinha a ver com romance, mas com o relacionamento entre Joe Jonas e Cole Whittle. "Quando nos encontramos, nos encaramos como dois cães na rua", disse Jonas. "Ficamos cheirando as botas um do outro", acrescentou Whittle.

Jonas e Whittle no Pyramid Club na Avenue A

Jonas e Whittle no Pyramid Club na Avenue A Foto: Natalie Keyssar/The New York Times

A união se deu por causa do seu gosto musical; seu amor por Matthew McConaughey, particularmente seu trabalho em "Surfer Dude".

Depois de terminar alguns drinques no bar, Jonas e Whittle foram para o Sake Bar Decibel, em East Village. Ali pediram batatas francesas, edamane (soja ainda verde), bolinhos de frango e uma garrafa de saquê Tenzan.

A conversa então se voltou para a pochete que Whittle estava usando, uma das muitas da sua coleção.

Ocorre que essas pochetes desempenharam um papel fundamental em algumas das aventuras da banda que estão muito longe dos dias de Popstar de Joe Jonas quando tinha o endosso da Disney, em que uma noite típica do artista era assistir a um filme e ir para a cama.

"Ele me passou um 'baseado' de Amsterdã e disse 'segura isto para mim'", disse Whittle. "Vi na pochete", referindo-se àquela que estava usando na época. "Tínhamos de ir para o aeroporto em uma hora. Não conseguia encontra-lo. Estávamos com um baseado perdido que um dia iria aparecer".

Whittle e Jonas seguiram depois para o Pyramid Club, na Avenue A. Mais drinques na mão, desceram para o local, onde dois músicos tocavam para um público de cinco pessoas. Saltando diante do palco, Jonas e Whittle bateram os punhos e gritaram seu apoio. Quando a meia-noite se aproximava e com o lançamento do seu primeiro álbum, Whittle estava um pouco aturdido ao passo que Jonas ficou mais sério e na expectativa.

No início da noite ele havia falado sobre as mudanças por que passou após a separação dos Jonas Brothers. "Quando você vive amarrado por tantos anos, no momento em que está livre, a primeira coisa é se tornar um rebelde", disse ele.

Mas depois que essa fase passou, ele começou nova busca por uma identidade. "Não é sempre que você tem uma segunda chance ou consegue apertar o botão de reiniciar", afirmou. (Tradução de Terezinha Martino)