Jennifer Holliday desiste de cantar na festa de posse de Trump

- O Estado de S.Paulo

Mais um artista diz 'não' o presidente eleito dos EUA; Elton John, Moby e outros também já se recusaram a se apresentar no evento

  

   Foto: Reprodução/Instagram @jenniferhollidaydreamgirl

A cantora Jennifer Holliday, que ficou conhecida por estrelar no musical da Broadway Dreamgirls, cancelou seu show na festa de posse do presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, depois de defender em duas entrevistas sua presença no evento.

Jennifer escreveu uma carta para comunicar sua decisão e afirmou que percebeu que estava cometendo um erro quando leu um artigo publicado no site The Daily Beast que pontuava a importância da cantora para a comunidade LGBT.

"Infelizmente, eu não levei em consideração que minha apresentação iria, na verdade, ser entendida como um ato político contra minhas próprias crenças e confundida com um apoio a Donald Trump e Mike Pence", escreveu Jennifer. "À luz da informação me apontada pelo artigo do Daily Beast ontem, minha única escolha agora deve ser de ficar ao lado da comunidade LGBT."

Ela também pediu desculpas e agradeceu pelo 'toque', afirmando que não sabia que ainda significava tanto para o público. "A comunidade LGBT foi a maior responsável pelo nascimento da minha carreira e eu tenho uma grande dívida com vocês... Vocês me amaram com fé e incondicionalmente, e por tantos anos vocês me deram um trabalho mesmo muito tempo depois de a minha estrela ter parado de brilhar."

Diversos outros artistas, como Elton John e Moby, se recusaram a participar da festa no dia 19 de janeiro, véspera da posse de Trump. Na verdade, Moby brincou e disse que até faria uma apresentação caso o presidente eleito divulgasse sua declaração de imposto de renda. A banda 3 Doors Down e o cantor country Toby Keith são algumas das atrações ainda confirmadas para o "Make America Great Again! Welcome Celebration".