Ex-seguranças processam Johnny Depp por falta de pagamento de salários

Redação - O Estado de S.Paulo

Eugene Arreola e Miguel Sanchez ainda afirmam que trabalhavam sob condições perigosas e eram expostos a substâncias ilícitas

Ator Johnny Depp

Ator Johnny Depp Foto: Mario Anzuoni/Reuters

Dois ex-seguranças estão processando Johnny Depp por não pagar salário. Eugene Arreola e Miguel Sanchez trabalhavam com o ator desde 2013 ainda acusam o ator de expô-los a situações de perigo como manipular armas carregadas e exposição a substâncias ilícitas. As informações são da revista People.

Os dois homens afirmam que, a partir de 2016, notaram que não estavam sendo pagos pelas horas extras e que as horas de descanso eram descontadas de seus salários, além de não terem direito às horas de descanso previstas em lei.

Outra denúncia feita por Eugene e Miguel é que elas obrigados a realizarem tarefas que não eram de sua competência, como servir de motoristas. Não raro, os carros continham substâncias ilícitas.

Miguel Sanchez, que serviu de segurança para os filhos do ator, também diz que era forçado a cumprir todas as vontades deles, com medo de ser demitido caso não o fizesse.

Os dois seguranças pedem que Johnny pague os salários devidos, além do valor gasto com advogados para o processo.

O ator está atualmente envolvido em um processo judicial de U$ 25 milhões (aproximadamente R$ 88,695 milhões) contra a empresa que era contratada para gerir seus negócios. Ele os acusa de gerenciarem mal sua fortuna de U$ 650 milhões (algo em torno de R$ 2,3 bilhões) a ponto de acabar com todo o dinheiro. Já os agentes afirmam que a vida luxuosa de Depp é a responsável pelo fim da fortuna.