Ex-BBB Laércio faz 'vaquinha' no Twitter para pagar fiança e sair da prisão

- Bang Showbiz

Ex-BBB foi preso nessa segunda-feira, 16, acusado de estupro e também por induzir menores a ingerirem bebida alcoólica

Foto: Divulgação/Globo

Uma mensagem postada nessa terça-feira, 17, no perfil do Twitter do ex-BBB Laércio pede a ajuda dos fãs para arrecadar dinheiro para pagar sua fiança.

Ele foi preso nessa segunda-feira, 16, acusado de estupro de vulnerável e também por induzir menores a ingerirem bebida alcoólica.

De acordo com a Polícia Civil do Paraná, Laércio foi preso em sua residência por volta de 7h da manhã após uma longa investigação que envolveu dezenas de policiais. 

A assessoria de imprensa da Polícia Civil do Paraná informou que Laércio passou a primeira noite no Centro de Observação Criminológica e Triagem (COT) e na manhã da terça-feira foi encaminhado para o Centro de Custódia de Curitiba, onde deverá ficar preso até a conclusão das investigações.

A delegada que conduz o caso, Daniela Andrade, explicou que Laércio foi acusado por uma garota de 17 anos - que tinha 13 anos quando iniciou seu envolvimento com o tatuador - de ter mantido um relacionamento por vários anos. 

"O Laércio foi preso decorrente de uma investigação, que foi originada através de uma requisição do Ministério Público, da vara especializada de crime contra crianças e adolescentes, porque, a partir do momento que ele apareceu no programa (BBB), eles receberam inúmeras denúncias de que ele se relacionava com menores de 14 anos, o que caracteriza o crime de estupro de vulnerável, porque a lei presume uma violência, quando um maior de idade se relaciona com uma adolescente. A partir de então foram iniciadas as investigações, foram levantadas algumas hipóteses através das redes sociais dele, e foram feitas algumas investigações até no interior do Estado, onde a gente localizou algumas testemunhas e localizamos uma possível vitima. Essa vitima veio até à delegacia e confirmou que se relacionou com ele quando tinha 13 anos de idade e que ele oferecia bebida alcoólica para ela, o que caracteriza um outro crime", explicou a delegada em coletiva de imprensa.

Para comprovar o envolvimento, a vítima forneceu à polícia imagens das suas redes sociais com as conversas mantidas por ambos.

A família de Laércio disse que não vai se manifestar sobre o assunto até que as investigações sejam concluídas.