'Envergonhada’, diz Salma Hayek sobre não ter revelado abusos de Weinstein no primeiro momento

Redação - O Estado de S.Paulo

Em entrevista a Oprah Wifrey a atriz falou sobre medos, traumas e os motivos por não ter abordado o assunto em outubro de 2017

A atriz Salma Hayek.

A atriz Salma Hayek. Foto: Mario Anzuoni/Estadão

A atriz Salma Hayek falou sobre a sensação de vergonha e indecisão em revelar tudo o que sentia em relação aos abusos por parte do ex-produtor Harwey Weinstein. “Comecei a chorar quando me pediram [o jornal The New York Times] para falar e acabei não fazendo nada”, disse ao programa SuperSoul Conversation, coordenado pela apresentadora Oprah Winfrey na última quarta-feira, 7.

O primeiro convite feito pelo jornal The New York Times foi em outubro, quando uma série de relatos de mulheres começou a ser publicada. Na época, Salma titubeou. “ Depois de decidir não falar eu me senti envergonhada… Dei suporte para mulheres por 20 anos e depois fui covarde”. 

Salma também revelou que muito tempo fingiu que estava bem, mas ela sofria de estresse pós-traumático. “Fiquei paranoica. Tentei sair mas não consegui”.

Já em dezembro, Salma topou publicar um texto sobre o assunto no jornal, como informado pelo E+. À apresentadora Oprah, a atriz revelou que o comportamento depende da forma como se vê a situação. “Quando nos unimos, o assunto não é drama. Não é dor. É sobre um movimento poderoso que pode provocar mudanças”. 

“Eu não sabia que havia tantas mulheres. Sempre achei que eu fosse a única. Quando os fatos vieram à tona, eu tive vergonha por nunca ter dito nada”, desabafou a atriz. Sua grande amiga Penélope Cruz, inclusive, lhe deu uma bronca porque Salma nunca disse nada sobre os abusos que sofria.