DJ condenado por abusar sexualmente de Taylor Swift paga indenização simbólica de US$ 1

Redação - O Estado de S.Paulo

A cantora ganhou o processo contra Robert Muller em agosto deste ano

David Mueller, o DJ que foi condenado por abusar sexualmente da cantora Taylor Swift, afirma que já pagou o US$ 1 que foi condenado

David Mueller, o DJ que foi condenado por abusar sexualmente da cantora Taylor Swift, afirma que já pagou o US$ 1 que foi condenado Foto: Danny Moloshok/Reuters

David Mueller, o DJ condenado a pagar indenização para a cantora Taylor Swift, afirmou para a agência Associated Press que pagou a quantia simbólica de US$ 1 a qual foi ordenado pelo juiz do caso. Ele disse que depositou a quantia, uma moeda, no último dia 28 de novembro.

A agência o procurou após a cantora afirmar para a revista Time, como uma das entrevistadas para a edição que elegeu as pessoas que denuncairam abuso como ‘personalidade do ano’ que ainda não havia sido paga por Mueller. Na reportagem, Taylor comentou o elogiado depoimento que deu no caso, em que não mediu palavras contra o DJ.

“Disseram que nunca falaram tanto a palavra 'bunda' durante uma audiência da justiça federal do Colorado”, disse Taylor. “Eu precisei assistir a esse homem e seu advogado me assediarem e a minha mãe por horas a fio, então quando fui dar meu depoimento quis dar o troco e respondi às perguntas sem formalidade nenhuma”, completou.

Entenda o caso. Taylor foi abusada sexualmente pelo DJ em 2013, durante um evento fotográfico. Após o abuso se tornar público, Mueller entrou com uma ação pedindo um valor de US$ 3 milhões por danos e prejuízos, alegando que havia perdido o emprego por conta do episódio. A cantora, então, entrou com uma ação para provar que o abuso havia acontecido. O juiz decidiu que Taylor não teria que pagar a indenização, pois não haviam provas suficientes para afirmar que a demissão de Mueller havia sido causada pela cantora.