Danilo Gentili deverá tirar do ar vídeos com ofensas a Maria do Rosário, determina Justiça

Redação - O Estado de S.Paulo

Apresentador divulgou imagens em que rasga uma notificação enviada pela Câmara e depois passa os papéis em suas partes íntimas

Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul divulgou neste sábado, 3, em nota, a decisão do desembargador Túlio Martins.

Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul divulgou neste sábado, 3, em nota, a decisão do desembargador Túlio Martins. Foto: Dida Sampaio/Estadão | Bang Showbiz

O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS) determinou que o apresentador Danilo Gentili tire do ar os vídeos com ofensas à deputada Maria do Rosário (PT-RS).

Nas imagens, publicadas nas redes sociais do apresentador na segunda-feira, 29, ele aparece rasgando uma notificação extrajudicial para parar de postar notícias falas a respeito da filha da parlamentar, menor de idade. Depois de rasgar os papéis, ele os coloca dentro das calças e, em seguida, novamente no envelope.

O pedido dos advogados da deputada para a retirada das imagens foi deferido pelo desembargador Túlio Martins, da 10ª Câmara Cível do TJRS na sexta-feira, 2. Em nota publicada pelo tribunal neste sábado, 3, Martins afirmou que as imagens veiculadas nas redes sociais são de natureza misógina, "representando agressão despropositada a uma parlamentar e às instituições, materializando-se virtualmente em crime que, se for o caso, deverá ser apurado em instância própria."

Os vídeos devem ser retirados em até 24h. Caso contrário, Gentili deverá pagar multa diária no valor de R$ 500,00, sem limitação máxima de dias.

"Impossível aceitarmos desrespeito e humilhação contra ser humano. Decisão é vitória das mulheres que desejam uma sociedade livre do ódio", escreveu Maria do Rosário no Twitter.

Até a publicação desta nota, o apresentador não havia se expressado abertamente sobre a decisão, mas postou as seguintes mensagens em seu perfil do Twitter na tarde de sábado, 2:

Ainda nesta semana, o apresentador sofreu outra derrota na Justiça. Gentili foi condenado a retirar das redes sociais postagens ofensivas ao jornalista Gilberto Dimenstein.