Bill Cosby pagou quase US$ 3,4 milhões à mulher que o acusa de assédio

- AFP

Valor faria parte de um acordo secreto para quitar um processo civil de 2006

Bill Cosby ao sair do primeiro dia de julgamento contra ele por abuso sexual.

Bill Cosby ao sair do primeiro dia de julgamento contra ele por abuso sexual. Foto: Dominick Reuter/AFP Photo

O ator e comediante americano Bill Cosby pagou US$ 3,38 milhões (quase R$ 11,4 milhões) à ex-empregada universitária que o acusa de assédio sexual. O fato foi revelado no novo julgamento contra ele que começou nesta segunda-feira, 9.

Cosby, de 80 anos, pode passar o resto da vida atrás das grades se for considerado culpado de drogar e agredir sexualmente Andrea Constand, de 44 anos, na casa dele, na Filadélfia, em 2004.

O primeiro julgamento contra o ator foi anulado em junho do ano passado porque o júri não conseguiu alcançar um veredito unânime.

Nesta segunda-feira, o advogado distrital de Montgomery, Kevin Steele, revelou ao público que o ator pagou o valor para Andrea como parte de um acordo secreto para quitar um processo civil de 2006.

O oficial citou várias vezes uma declaração de Cosby, de 2005, na qual ele diz que deu um anti-histamínico à mulher para aliviar o estresse e que tiveram relações consensuais. O ator admitiu, então, ter obtido sedativos com o objetivo de fazer sexo.

Steele tentou neutralizar uma possível tentativa da defesa de apresentar Andrea como uma gananciosa que só quer mais dinheiro, indicando que foi o despacho dele que a chamou quando surgiu nova evidência, não o contrário.

"Estamos confiantes de que o réu será condenado pelas três acusações de agressão indecente agravadas pelo que ele fez a Andrea Constand em uma noite de 2004", disse o advogado ao júri. Andrea "era incapaz de consentir algo", acrescentou.

Nos últimos anos, cerca de 60 mulheres acusaram Bill Cosby de ser um predador sexual em série e garantiram que ele abusou e as drogou em um período de 40 anos. Porém, o ator só será julgado pela denúncia de Andrea uma vez que as demais acusações prescreveram.

Especialistas acreditam que o movimento #MeToo, no qual a acusação a Cosby se contextualiza, pode fazer com que os jurados acreditem mais nas vítimas.

No julgamento desta segunda-feira, Cosby trocou de advogado e contratou o famoso Tom Mesereau, de Los Angeles, que conseguiu a absolvição de Michael Jackson por abuso sexual de um menor de idade.