Artistas gravam vídeo contra redução de proteção da Floresta Amazônica

Redação - O Estado de S.Paulo

Caco Ciocler, Marcos Palmeiras e Sheron Menezes são alguns dos artistas participantes da ação do Greenpeace

Michel Temer vetou duas Medidas Provisórias que diminuiam as áreas de desmatamento na Amazônia, mas Ministro do Meio Ambiente deve protocolar novo projeto de lei incluindo os mesmos termos. 

Michel Temer vetou duas Medidas Provisórias que diminuiam as áreas de desmatamento na Amazônia, mas Ministro do Meio Ambiente deve protocolar novo projeto de lei incluindo os mesmos termos.  Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino

Na última quinta-feira, 22, a página do Greenpeace Brasil divulgou um vídeo em que artistas falam sobre a importância da preservação da floresta amazônica e pressionam o presidente Michel Temer a impedir que medidas que diminuem a proteção da floresta avancem.

Recentemente, o presidente vetou a Medida Provisória 756/2016 e trechos da 758/2016, que reduziriam a proteção em áreas florestais da Amazônia. Temer já havia adiantado que iria vetar as MPs em seu Twitter, numa resposta à modelo Gisele Bundchen, que pediu para que ele dissesse 'não' para as medidas.

"Nós somos cidadãos brasileiros e temos o maior orgulho e a maior responsabilidade de vivermos no País que tem a maior floresta tropical do mundo", começa Caco Ciocler. Além dele, Marcos Palmeira, Vanessa Gerbeli, Sheron Menezes, Luísa Micheletti, Isabela Garcia e Fafá de Belém também participam do vídeo, ao lado da líder indígena Sonia Guadalajara.

"Todo mundo já sabe que conservar e se relacionar com a Amazônia de maneira sustentável é crucial para o equilíbrio climático do planeta. E durante algum tempo, o Brasil foi o país que mais reduziu a emissão de gases do efeito estufa por conta da redução do desmatamento da Amazônia", dizem Sheron e Vanessa.

"As medidas provisórias que reduziriam as áreas protegidas na Amazônia foram vetadas pelo presidente Temer. Mas o ministro do meio ambiente gravou um vídeo informando que um projeto de lei com conteúdo similar vai tramitar em caráter de urgência. Ou seja, a MP vai voltar, só que de uma outra forma. Até quando nossos governantes vão priorizar os interesses dos pequenos grupos de interesse? Não dá mais para desmatar", completam os artistas no vídeo.

Após Temer vetar as Medidas, José Sarney Filho, o ministro do Meio Ambiente, anunciou que iria enviar ao Congresso Nacional um projeto de lei com o mesmo teor das MPs, ou seja, que prevê a redução da proteção de 300 mil hectares de floresta.