Ana Beatriz Nogueira revela luta contra esclerose múltipla: 'Não estou doente, tenho uma doença'

Redação - O Estado de S.Paulo

Atriz foi diagnosticada em 2009, quando atuava na novela 'Caminho das Índias'

Ana Beatriz Nogueira revelou que foi diagnosticada com esclerose múltipla em 2009.

Ana Beatriz Nogueira revelou que foi diagnosticada com esclerose múltipla em 2009. Foto: João Miguel Junior/Globo/Divulgação

Em entrevista ao jornal O Globo publicada neste domingo, 4, Ana Beatriz Nogueira revelou que tem esclerose múltipla e foi diagnosticada em 2009, quando vivia Ilana em Caminho das Índias.

Ela contou que o primeiro surto ocorreu em janeiro daquele ano: enquanto ela assistia a um filme, sentiu sua visão ficar duplicada. "Achei que a legenda estava ruim. Mas, no dia seguinte, não tinha melhorado e procurei o médico", contou. O médico lhe disse que era apenas o efeito colateral de um remédio que ela tomava. Após 15 dias, sua visão voltou ao normal e ela se tranquilizou.

Porém, quando as gravações de Caminho das Índias já estavam mais avançadas, veio o segundo episódio. Ana gravava uma cena na qual precisava atravessar o estúdio e levar uma garrafa até Vera Fischer. "Eu estava vendo duplo e embaçado. Pedi ao [Antonio] Calloni para me dizer de que lado estava a Vera: eu via duas Veras. Ele sinalizou, tirei uma reta e fui", relembra.

A atriz foi ao médico novamente, fez diversos exames e recebeu o diagnóstico de esclerose múltipla. O especialista, porém, disse que ela era um "falso positivo". Foi apenas em novembro de 2009, quando ela teve o terceiro surto, que ela teve certeza de que tinha esclerose.

"Achei que era o fim. Como atriz, meu corpo é meu instrumento de trabalho, meu tudo, dependo da minha visão, da audição, das funções cognitivas", disse. Ela ainda contou que amigos próximos como Patricia Pillar, Zelia Duncan e Malu Mader aprenderam a aplicar a injeção de imonomodulador que ela preciso para não ter mais surtos. Além disso, ela usa medicamentos e faz exercícios físicos.

Inicialmente, Ana temeu o preconceito, mas agora quer falar abertamente sobre o assunto e conscientizar sobre a doneça. "O segredo é pesado. A gente vai digerindo, entendendo e resolvendo os fantasminhas. Minha decisão de falar foi motivada por amigos, por terapia e pelo desejo de tornar essa estrada mais fácil para quem tiver que passar por ela. Não estou doente, tenho uma doença. Gosto de ver a esclerose múltipla como uma característica", concluiu.