Alegando não estar preparada para casar, princesa japonesa adia matrimônio com plebeu

Redação - O Estado de S.Paulo

O casamento da popular neta do imperador japonês poderia ser o gatilho para mudanças nas leis sucessórias ao trono

Alegando não estar preparada para casar, a princesa Mako do Japão adiou seu casamento com o plebeu Kei Komuro para 2020

Alegando não estar preparada para casar, a princesa Mako do Japão adiou seu casamento com o plebeu Kei Komuro para 2020 Foto: Shizuo Kambayashi/Reuters

A princesa Mako, neta do imperador japonês Akihito, decidiu adiar seu casamento com o plebeu Kei Komuro até 2020. O noivado do casal, muito querido no país, foi anunciado em setembro do ano passado e seria oficializado no próximo dia 4 de março em cerimônia tradicional japonesa. Já o casamento em si estava marcado para ocorrer em novembro.

Porém, segundo a família imperial japonesa, o casamento foi adiado após a princesa Mako perceber que não estava preparada para casar. “Eu quero pensar mais profundamente sobre o casamento e me dar tempo suficiente para preparar para a cerimônia e para a vida de casada”, disse a princesa em comunicado obtido pela CNN. “Pedimos desculpas a todos que nos apoiaram”, continuou. Os dois se conheceram em 2012 quando estudavam na mesma universidade e começaram a namorar no ano seguinte.

Carismática, parte da população japonesa esperava que o casamento de Mako com um plebeu pudesse causar mudanças nas restritivas leis de sucessão ao trono japonês que ameaçam o futuro da família imperial. Só homens podem participar da linha sucessória e mulheres que se casam com plebeus precisam sair da família imperial, tirando seus descendentes da possibilidade de serem incluídos na nobreza.