Veja dez indícios de que o DJ Borgore é machista

Redação - O Estado de S.Paulo

Israelense foi chamado de machista e misógino por Titi Müller no Lollapalooza; DJ já afirmou ser 'bode expiatório' para críticas

DJ Borgore no Lollapalooza

DJ Borgore no Lollapalooza Foto: BrenoGaltier-MRossi

Titi Müller caiu nas graças das redes sociais neste fim de semana, quando chamou DJ Borgore, que se apresentaria no Lollapalooza, de machista e misógino. Mas você sabe por que o israelense tem esse rótulo?

Nascido em Tel Aviv, Borgore estudou performance e composição de jazz no conceituado Thelma Yellin High School of the Arts, em Israel mesmo. O começo de sua carreira foi em outro estilo, em uma banda de heavy metal. Depois, começou a trabalhar como produtor e DJ de música eletrônica.

Hoje, aos 29 anos, após alçar sucesso mundial, ele já está baseado em Los Angeles e compõe músicas para si e outros artistas. Uma de suas grandes marcas, apontam especialistas, é promover a mudança na carreira de Miley Cyrus, da ingênua Hannah Montana à Miley transgressora de hoje.

Apontado por muitos como "o DJ mais odiado do mundo", Borgore é alvo constante de críticas por conta de sua postura. O E+ foi atrás de sua biografia e elencou dez indícios de que ele é machista - em acordo com a crítica de Titi Müller. Confira:

1. Ele é conhecido por pedir nudes às fãs - uma simples busca pela hashtag "#bootyforborgore" no Twitter revela uma lista de imagens enviadas a ele.

2. Ele autografa o decote das fãs, uma forma de objetificá-las.

3. Ele realmente gosta de objetificar mulheres. Em Decisions, feita em parceria com Miley Cyrus, Borgore diz que, se quiser, pega uma garota e também a amiga dela, como se a vontade dele fosse a única importante. 

"I wanna girl, I get her. And I get her friend/ Five girls singing in my bedroom, start my own band/ They love me in my peak, but this love is fake/ Everyday's my birthday, cause bitches love cake".

Em português: "Se eu quero uma garota, consigo. E também a amiga dela./ Cinco garotas cantando no meu quarto, vou montar minha própria banda/ Elas me amam no meu auge, mas este amor é falso/ Todo o dia é meu aniversário, porque vadias amam bolo".

4. Neste tuíte, ele volta a fazer referência a Decisions: "Se você estivesse perdido em uma ilha deserta e pudesse levar apenas três coisas, o que levaria...". A foto é a resposta dele:

5. Na música Act Like a Ho, ele canta: "Na cama aja como uma vadia, mas antes lave a louça". Veja um trecho:

"Girl, when we're in bed act like a ho/ Ho, when we're in bed act like a ho/ Girl, take example from these bitches/ In bed act like a ho but first do the dishes!"

Em português: "Garota, quando estamos na cama aja como uma p%#@/ P%#@, quando estamos na cama aja como uma p%#@/ Garota, siga o exemplo dessas vadias/ Na cama aja como uma p%#@, mas antes lave a louça!".

6. Em Gloryhole, o DJ é gordofóbico ao chamar uma mulher de baleia. O nome da música é uma referência aos buracos em paredes de casas noturnas nas quais os homens colocam o pênis para fazerem sexo com alguém que não sabem quem é. 

"Oh my god it's a whale! Wait that's your sister/ Just take her to the glory hole you wouldn't have to kiss her/ Na sea mammals are not on my fuck list/ Man, it's a glory hole, fuck if she's obese".

Em português: "Meu deus, é uma baleia! Espera, essa é sua irmã/ Só a leve para o glory hole, você não vai precisar beijá-la/ Não, eu não transo com mamíferos marinhos/ Cara, é um glory hole, f*$@-se se ela é obesa".6. Já

7. Em Hate, DJ Borgore canta letras agressivas. Na música, diz que não pode "descrever o amor, apenas senti-lo". Mas, logo depois, a música parte para outro caminho. 

"She's a good girl/ She is an angel/ She just like Taylor/ So I fuck her like I hate her!"

Em português: "Ela é uma boa garota/ Ela é como um anjo/ Ela é como a Taylor/ Então eu f@$@ ela como se eu a odiasse".

8. Na música Nympho, Borgore canta que "Essa vagabunda é tão usada que eu não a venderia numa loja de segunda mão/ Sua b#$%@* é tão larga".

9. O DJ também é conhecido por incentivar as mulheres a tirarem a roupa em seus shows.

10. Em entrevista ao BuzzFeed, em 2014, Borgore ficou na defensiva e se diz ser um bode expiatório para as críticas. "Sou o único artista da Electronic Dance Music que vai e diz coisas loucas, então é fácil me escolher", afirmou. "Eu não me importo, vou ser o bode expiatório. Ainda estou aqui... Se eu não causo nenhuma reação, não há motivo em fazer o que faço". 

Ele também respondeu às acusações de que suas letras são misóginas. Sobre Act Like a Ho, ele diz que "é uma piada" e que em casa é seu pai quem lava a louça. Sobre Hate, Borgore afirma que a música é sobre uma garota com quem ele sai e que gosta de "sexo selvagem". 

"Não odeio mulheres de forma alguma. É uma má-interpretação. Mas, sinceramente, quando alguém tem uma opinião, é difícil de mudá-la. Se uma garota pensa que eu sou misógino, nem adianta eu começar um partido e as minhas primeiras escolhas serem mulheres. Ela ainda vai achar que eu sou misógino", afirmou o DJ.