Universidade pede que alunas evitem roupas curtas para não distraírem professores e alunos

Redação - O Estado de S.Paulo

Instruções da Universidad Pontificia Bolivariana, em Medellín, causaram revolta entre as estudantes

Universidade da Colômbia está sendo criticada após indicar que alunas não usem decotes e saias para não 'distrair companheiros e professores'

Universidade da Colômbia está sendo criticada após indicar que alunas não usem decotes e saias para não 'distrair companheiros e professores' Foto: Pixabay

A Universidad Pontificia Bolivariana, em Medellín, na Colômbia, gerou revolta nas redes sociais após criar uma lista de instruções de roupas a serem evitadas pelas alunas. A instituição indica usar roupas discretas "para não distrair os professores e alunos", evitando decotes e saias curtas.

"Sugerimos evitar: usar saias muito justas, ir vestido como se fosse para uma festa, usar sapatos de salto alto a não ser que tenha alguma apresentação ou entrevista e usar saias curtas, shorts e decotes muito profundos", dizia a lista de instruções publicada no site da universidade. "Trate de usar roupas discretas, não há nada mais incômodo que distrair a atenção de seus companheiros de classe e dos professores, por isso te sugerimos evitar usar decotes profundos, saias curtas ou roupas justas", concluia o texto. 

As instruções de como as mulheres devem vestir-se geraram muitas críticas à instituição, que foi acusada de demonstrar que as roupas que as alunas vestem podem contribuir ou não para um assédio sexual. Como resposta, diversas estudantes se uniram e criaram a campanha #UPBEnFalda, algo como 'UPB de Saia', encorajando a todas as alunas a assistirem às aulas de saia nesta quinta-feira, 8.

'Lindo, muito lindo. Agora eu não tenho mais liberdade na hora de me vestir porque posso ser uma 'distração' ou ser 'provocativa'. A Universidade Pontificia Bolivariana, em vez de criar soluções e um ambiente de respeito, escreve esses artigos'

 

'O problema está em uma sociedade que, por milhares de anos, sexualiza as mulheres e que prefere responsabilizar a mulher de 'provocar' o homem, em vez de responsabilizar o homem a respeitar a mulher, independentemente de saias e códigos de vestimenta'

 

'O 'não vista saia para não distrair' é o novo 'não saia na rua sozinha porque podem te estuprar'

 

'Querida UPB, se é muito difícil para vocês entenderem que as mulheres NÃO têm culpa de que sexualizem seu corpo e continuem tolerando o machismo, recomendamos esse artefato aos professores e alunos mais vulneráveis'. Na imagem, lê-se: 'Compartilhe esse tapa-olhos para que seus companheiros e professores não se distraiam com o que você está vestindo e para que você possa ir estudar como te dá vontade'. 

 

Após as reações negativas, a instituição se explicou nas redes sociais. "A Universidade Pontificia Bolivariana esclarece que a motivação do texto teve o objetivo de dar algumas recomendações gerais sobre a comodidade no ambiente universitário. A UPB não pretende condicionar algum código de vestimenta para seus alunos e isso é evidente na dinâmica da instituição. Pedimos desculpas se, em algum momento, o texto afetou a alguém pela interpretação que teve", diz o comunicado. O texto com as instruções sobre como se vestir foi apagado do site da universidade.