Twitter explica por que não deleta tuítes de Trump que incitam violência

Redação - O Estado de S.Paulo

A rede social diz que valor jornalístico e interesse público são alguns dos critérios utilizados na hora de avaliar uma publicação

Usuários do Twitter entenderam que um tuíte de Donald Trump sobre a Coreia do Norte incita a violência. 

Usuários do Twitter entenderam que um tuíte de Donald Trump sobre a Coreia do Norte incita a violência.  Foto: EFE/EPA/Ilivier Douliery

Na última segunda-feira, 25, o Twitter explicou por que não exclui tuítes de Donald Trump que incitam violência. Recentemente, o presidente dos Estados Unidos publicou um tuíte falando sobre a Coreia do Norte, o que foi fortemente interpretado como uma declaração de guerra.

"Acabei de ouvir o ministro de Relações Exteriores da Coreia do Norte falar para as Nações Unidas. Se a fala dele representa os pensamentos do Pequeno Homem-Foguete, eles não vão viver por muito tempo", tuitou Trump no último sábado, 23.

Muitos internautas acreditam que o tuíte de Trump incita violência, o que é proibido segundo as regras de uso do Twitter. Para esclarecer a história, a rede social resolveu explicar quais critérios utiliza para suspender uma conta ou deletar uma publicação.

Segundo o comunicado, o tuíte de Trump não foi excluído por ter grande valor jornalístico e por ser de interesse público, fatores que também são levados em consideração. "Isso era uma política interna até agora, então nós vamos atualizar nossas regras de uso. Nós precisamos melhorar nisso [na transparência] e nós vamos", disse o cofundador, Biz Stone, na conta oficial do Twitter.

'Todas as nossas contas têm as mesmas regras, e consideramos diversos fatores quando decidimos se os tuítes violam nossas regras'

 

'Entre as considerações, estão 'valor jornalístico' e interesse público'

 

'Isso era uma política interna até agora, então nós vamos atualizar nossas regras de uso. Nós precisamos melhorar nisso [na transparência] e nós vamos'

 

'O Twitter está comprometido com a transparência e em manter as pessoas informadas sobre o que está acontecendo no mundo'