Sindicato dos atores dos EUA proíbe testes em quartos de hotéis ou casas particulares

Redação - O Estado de S.Paulo

O objetivo é coibir as práticas de assédio sexual que foram denunciadas em 2017

O sindicato dos atores dos EUA editou uma norma proibindo a realização de testes em quartos de hotéis ou casas particulares

O sindicato dos atores dos EUA editou uma norma proibindo a realização de testes em quartos de hotéis ou casas particulares Foto: Mario Anzuoni/Reuters

O SAG-AFTRA, maior sindicato dos atores de cinema e televisão nos Estados Unidos, editou uma nova norma proibindo que testes e seleções envolvendo seus associados sejam feitos em quartos de hotéis e casas particulares como forma de coibir os casos de assédio sexual que acontecem nestas situações. Em 2017, várias denúncias do tipo foram feitas envolvendo, principalmente, o então produtor Harvey Weinstein. 

“Nós temos o compromisso de mudar esta situação que permitiu a predadores sexuais explorar nossos associados em testes de fachada que só tinham como objetivo a prática dos crimes”, disse a presidente do sindicato, Gabrielle Carteris, em comunicado obtido pelo site Deadline. A nova norma estabelece que os testes só poderão ser feitos em locais públicos e o ator ou atriz poderá ir acompanhado para evitar que qualquer situação desconfortável aconteça.

A ativista Anita Hill, que lidera uma comissão independente formada em Hollywood para investigar assédios na indústria cinematográfica, elogiou a medida. “A implementação desta norma marca um importante primeiro passo para criar padrões apropriados de conduta profissional na indústria”, disse Anita ao site norte-americano.

VEJA TAMBÉM: Personalidades que já se envolveram em casos de assédio ou abuso sexual.