Senhora já tricotou mais de 2 mil gorros para recém-nascidos

Redação - O Estado de S.Paulo

A americana Barbara Lowe começou a doar gorros para hospital em 2009 como hobby

Desde 2009, Barbara Lowe já costurou mais de 2 mil gorros para recém-nascidos em um hospital nos Estados Unidos. 

Desde 2009, Barbara Lowe já costurou mais de 2 mil gorros para recém-nascidos em um hospital nos Estados Unidos.  Foto: Twitter.com/ClevelandClinic

Barbara Lowe, de 90 anos, aprendeu a tricotar quando ainda era adolescente, com a técnica ensinada por sua mãe. Ela sempre tricotava roupas e acessórios para sua família, mas, em 2009, começou a tricotar gorros para recém-nascidos e doá-los para uma maternidade da cidade de Cleveland, nos Estados Unidos.

“Eu adoro tricô e bebês”, disse Lowe para a revista People. “Quando eu recebo um presente que alguém fez, sempre me parece mais especial do que um comprado em uma loja qualquer. Por isso, quis fazer gorros para dar algo especial a esses bebês em início de vida”, completou.

Os gorros são especialmente importantes para recém-nascidos porque mantêm a temperatura corporal deles. A diretora da maternidade, Mary Bartos, explicou que os gorros são um momento de educação para os pais. “Além de serem lindos, os gorros servem de lição para explicar aos pais como manter a temperatura dos seus bebês”, falou Bartos.

A família toda de Lowe - duas filhas, 11 netos e 11 bisnetos - apoiam o tricô que ela faz para recém-nascidos e compram os materiais necessários para manter o seu hobby. Ela também faz gorros e cachecóis para pacientes que lutam contra o câncer no mesmo hospital em que fica a maternidade.