Queijo derretido é a nova moda do Instagram

Katherine Rosman - The New York Times

Contas de Instagram como Freshmen15 ("Engordamos por uma boa razão") se concentram na alegria do prazer desmedido

O Instagram, feito por um grupo de amigas, tem quase 140 mil seguidores

O Instagram, feito por um grupo de amigas, tem quase 140 mil seguidores Foto: Credit Stefania Curto/ The New York Times

Na maioria das sextas-feiras deste semestre, Sydney Greenberg, de 19 anos, corria para a moradia estudantil onde vive, no campus de Tallahassee da Universidade Estadual da Flórida, para chegar a tempo do almoço. O tema do cardápio era "Sexta-Feira Frita", e Sydney queria chegar à pilha de palitos de mussarela fritos antes de suas colegas da Delta Gamma.

O objetivo: a foto perfeita do queijo frito. "Os palitos de mussarela e o macarrão com queijo são verdadeiros campeões para nós", afirmou.

As fotografias de queijo derretido (na pizza, no macarrão, na batata frita) são muito populares no Freshmen15, a conta de Instagram que Sydney criou há cerca de um ano e meio com suas cinco melhores amigas do colégio. Uma fatia de pizza pode ganhar até 12 mil curtidas. Pão de alho com queijo derretido, outras 10 mil.

A fotografia de um panelão cheio de palitos de mussarela fritos na moradia estudantil de Sydney recebeu mais de 6.700 curtidas. Freshmen15 tem mais de 130 mil seguidores e mil novos chegam a cada semana.

"Nossos seguidores amam queijo, qualquer coisa com queijo, e quanto mais derretido melhor", afirmou Skylar Ganz, de 20 anos, que frequenta o John Jay College, em Manhattan.

Skylar Ganz, uma das fundadoras do Freshmen 15, provando alguns pratos na La Panineria Italiana, no Greenwich Village, em Nova York

Skylar Ganz, uma das fundadoras do Freshmen 15, provando alguns pratos na La Panineria Italiana, no Greenwich Village, em Nova York Foto: Stefania Curto/ The New York Times

O Instagram é o destino certo para quem tem fetiche por comida, já que vive cheio de posts de cachorros quentes veganos, smoothies de couve e fatias perfeitas de abacate sobre torradas de pão integral.

Mas, cada vez mais, ao passarem por imagens bem iluminadas de quinoa em potes de cerâmica, os usuários do Instagram começam a ver um movimento contrário, com contas como a Freshmen15 dando às pessoas uma oportunidade de celebrar comidas pouco saudáveis e deliciosamente gordurosas, que geram ansiedade e vergonha entre as pessoas, especialmente entre as mulheres. (Procure "bread-facing": um meme de arte performática nas mídias sociais por meio do qual as pessoas postam vídeos e fotos enquanto esfregam a cara em alimentos ricos em carboidratos).

Contas de Instagram como Freshmen15 ("Engordamos por uma boa razão") se concentram na alegria do prazer desmedido. "Minhas amigas e eu tentamos apoiar o corpo feminino como ele é. Adoramos sair para comer, comemos pizza tarde da noite e amamos comida", afirmou Nikki Seligsohn, de 20 anos, que frequenta a Universidade da Pensilvânia.

As seis mulheres decidiram criar a conta do Instagram, cujo nome faz menção ao fato de que muitos calouros ganham peso no primeiro ano, quando ainda viviam em Boca Raton, na Flórida, antes de se mudarem para diferentes cidades e estados. A ideia era continuar em contato e compartilhar umas com as outras as delícias da vida universitária.

O que elas não esperavam é que tantos desconhecidos iriam gostar das fotos de bolos de aniversário cobertos com massa de cookie e macarrão com queijo ao forno. As jovens acabaram se convertendo em agregadoras de fotos de comidas que engordam, escolhendo as fotos que postam (muitas vezes cerca de cinco por dia) em meio às comidas que encontram no dia a dia, outras fotos que veem no Instagram e imagens que são enviadas para elas.

As seis amigas têm acesso à conta e podem postar o que acham que vale a pena. Às vezes discutem sobre alguma imagem. Por exemplo, Joelie Fetterman, de 19 anos, na Universidade do Arizona, postou uma foto de um sorvete enviada por uma amiga, mas Sydney deletou a foto do Instagram.

"A Joelie disse, 'Você deletou uma foto da minha big!'", contou Sydney. ("big" é uma veterana, ou "big sister", irmã mais velha). "Respondi que se a big queria que a foto do sorvete aparecesse na página, deveria ter fotografado antes de começar a comer."

O feed tornou as meninas especialmente populares entre seus colegas de curso, com muitos enviando fotos na esperança de serem incluídos. Mas a qualidade das fotos é mais importante que a amizade.

"Eu tento ser simpática, mas às vezes é estranho quando temos que dizer que não dá, porque o queijo não está derretido o bastante", afirmou Christina Aquilina, de 20 anos, aluna da Universidade Central Florida, em Orlando. (Apenas Myar Taha, que estuda na Universidade de Boston, evita postar com muita frequência. "Quero fazer medicina, então não tenho muito tempo livre", afirmou).

Existem algumas vantagens. Às vezes Skylar é convidada por restaurantes para provar o cardápio sem pagar nada e no inverno, ela e a amiga, Maggie Carlson, curtiram pratos enormes de presunto cru e mussarela na La Panineria Italiana, de Greenwich Village, enquanto tiravam fotos, provavam sanduíches e conversavam sobre feminismo e autoimagem.

Skylar teve problemas com distúrbios alimentares e acredita que o Instagram foi essencial para sua recuperação. A ideia de contar para os outros que estava comendo alimentos gordurosos pelo Instagram parecia quase revolucionária.

"Em geral eu não estava ligada quando comia, não gostava de comer, usava toda a minha energia para tentar continuar sempre magra. Mas acho que as coisas estão mudando em nossa cultura. Chega de couve."Entre uma mordida e outra em um cannoli, Maggie concordou. "Todo mundo é gordo na faculdade. Eu digo para minha irmã nem tentar perder peso antes de terminar a graduação."