Quase 10 anos depois, garota adotada descobre ter irmã gêmea

- O Estado de S.Paulo

Caso aconteceu com duas chinesas adotadas que vivem nos Estados Unidos

.

. Foto: Reprodução / Facebook @nicole.rainsberry

De acordo com o site USA Today, tudo começou quando Jennifer Doering, mãe adotiva de Audrey, que vive em Washington, pesquisou sobre um anúncio sobre a adoção de sua filha em um jornal chinês, quando a garota foi abandonada ainda bebê. Ela foi adotada em 2007, com pouco mais de um ano de vida.

Ela entrou em contato com um site chinês em busca do anúncio, e recebeu também fotos da mulher que cuidava de Audrey antes da adoção, com um detalhe: haviam "duas Audreys" em seu colo. Em seguida, descobriu que os arquivos da outra garotinha da foto, chamada Ton Min Mei, nome semelhante ao original de Audrey: Tong Min Gui.

Ela passou a pesquisar mais a fundo e conseguiu o contato de Nicole Rainsberry, mãe de Gracie, e enviou uma foto sua com Audrey. Nicole comentou para o marido: "Eu sei que é a Gracie [na foto], mas não sei quem é a mulher ao lado".

Em seguida as famílias e as meninas entrarem em contato e se tornaram amigas.

"É como falar comigo mesma. Ela gosta de macarrão como eu, e o mesmo tipo de óculos", contou Audrey. A maior diferença entre elas é a distância:  uma mora no estado de Washington, e a outra no Wisconsin.