Profissionais falam sobre o amor por suas ocupações uma semana após o 'se nada der certo'

Anita Efraim - Especial para O Estado de S. Paulo

Gari, tatuador, consultora de beleza reforçam a importância de fazerem o que amam

Campanha tem uma página no Facebook, para que outras pessoas compartilhem o amor por suas profissões

Campanha tem uma página no Facebook, para que outras pessoas compartilhem o amor por suas profissões Foto: Reprodução peça publicitária 'Se Tudo Der Certo'

Há uma semana, a atividade 'se nada der certo', em uma escola no Rio Grande do Sul, mobilizou as redes sociais. Os alunos foram 'fantasiados' de profissões como gari, faxineira e outras ocupações, consideradas por eles 'rebaixadas'. 

Nesta segunda-feira, 12, um vídeo da campanha #SeTudoDerCerto compartilha a felicidade de profissionais dessas áreas em terem escolhido o que amam. Sheila, por exemplo, é gari e revela ter escolhido o emprego com ajuda de sua família: a avó tinha a mesma ocupação, e a mãe também. 

Assista ao vídeo: 

Edgard Vidal, publicitário idealizador do projeto, afirma que o objetivo da campanha não é "apontar o dedo na cara" dos estudantes, mas fazê-los refletir sobre o que é 'dar certo'. 

"Eles estão passando por um dos momentos mais delicados, que é o de escolher a profissão que vão seguir no futuro, e nada melhor do que chamar pessoas que amam o que fazem para deixar claro que não se deve escolher uma profissão por status, e sim por amor", opina o publicitário. 

Valéria, consultora de beleza, diz que sofreu muito preconceito por ter deixado seu antigo trabalho, de engenheira, para assumir a nova ocupação. No entanto, foi assim que se sentiu realizada profissionalmente.

O trabalho de Edgard, em parceria com Rafael Szalai, que fez a produção, e Marcel Woo, da produtora Usina Reality, começou quando ele viu as notícias sobre a atividade da escola. "Fiquei pensando em uma maneira de dar uma resposta eficiente para provocar uma reflexão e, consequentemente, uma mudança no pensamento desses jovens sobre a vida profissional", explica. "Quantas pessoas a gente não conhece que largam profissões de alto cargo para irem atrás do que os faz feliz?" 

O publicitário diz que a equipe está muito feliz com o resultado, não apenas pelo vídeo, mas por ter conhecido pessoas com experiências "tão incríveis", como descreve. 

Questionado sobre a reação dos profissionais ao dia do 'se nada der certo', Edgard diz que os alguns ficaram chateados, outros incomodados, mas nenhum com raiva. "Quando entrei em contato para falar sobre o projeto, elas [as pessoas] ficaram supercontentes, pois conseguiram falar o que estavam guardando para si, que é a realização e a felicidade de exercer empregos que, infelizmente, hoje sofrem preconceitos sob pontos de vista arcaicos", afirma. 

O projeto #SeTudoDerCerto tem também uma página no Facebook, na qual serão compartilhadas histórias de pessoas orgulhosas de suas trajetórias e das escolhas que fizeram. Para participar, é preciso mandar uma mensagem ou usar a hashtag da campanha.