Personalidades reagem a proibição de embarque de meninas usando leggings em avião

Redação - O Estado de S.Paulo

A United Airlines justificou o ato por ir contra suas políticas de embarque e a internet não perdoou

A United Airlines está no meio de uma controvérsia nos Estados Unidos ao proibir o embarque de duas meninas usando leggings.

A United Airlines está no meio de uma controvérsia nos Estados Unidos ao proibir o embarque de duas meninas usando leggings. Foto: REUTERS / Louis Nastro

O caso da United Airlines, que proibiu o embarque de duas meninas vestindo leggings em uma de suas aeronaves, deu o que falar na internet. Várias personalidades se manifestaram a respeito e criticaram duramente a companhia aérea. 

A ativista Shannon Watts presenciou o momento e foi a primeira a se manifestar. Logo as críticas se espalharam pelo Twitter e dentre as manifestações, a da modelo Chrissy Teigen, mulher do cantor John Legend, foi uma das que mais repercutiu: “eu já embarquei em um voo da United literalmente sem calças. Da próxima vez usarei somente jeans e um cachecol”. 

Patricia Arquette, vencedora do Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante em 2014, engrossou o coro junto com outras personalidades como William Shatner, Seth Rogen e Sarah Silverman. A companhia reiterou a punição explicando que as meninas não eram passageiras normais e sim portadoras do passe especial para familiares de empregados da empresa. 

“Um funcionário da United Airlines não está deixando meninas embarcarem em um voo de Denver para Minneapolis porque leggings não são permitidos?”

“United, precisamos de um esclarecimento aqui: leggings são proibidos nos seus voos?”

“Viram? Eu também já fiz isso!”

“Eu entendi a regra, mas como sugestão peço a vocês para a atualizarem porque ela parece antiquada e focada em mulheres.”

"Nós aqui da United estamos policiando as roupas que as filhas dos nossos empregados usam! Só isso! Legal, certo?"