Papa Francisco envia carta a casal gay após batismo dos filhos

Ludimila Honorato - O Estado de S.Paulo

O Pontífice felicitou Toni Reis e David Harrad e 'viu com apreço' o agradecimento enviado por eles à Igreja

O casal Toni Reis e David Harrad e seus filhos Allinson (esquerda), Felipe (centro) e Jéssica (direita), ao lado do padre Helio, em batizado no domingo, 23 de abril.

O casal Toni Reis e David Harrad e seus filhos Allinson (esquerda), Felipe (centro) e Jéssica (direita), ao lado do padre Helio, em batizado no domingo, 23 de abril. Foto: David Harrad/Arquivo Pessoal

Atualizado em 09/08/2017 às 10h17

Depois de batizar os três filhos em uma igreja católica de Curitiba, no Paraná, o casal Toni Reis e David Harrad enviou um agradecimento ao Papa Francisco e recebeu uma carta de felicitações como resposta.

"O Papa Francisco lhe deseja felicidades, invocando para a sua família a abundância das graças divinas, a fim de viverem constante e fielmente a condição de cristãos", diz o documento assinado pelo Monsenhor Paolo Borgia, assessor para os Assuntos Gerais da Secretaria de Estado.

A cerimônia foi realizada em abril e, dois meses depois, o casal enviou fotos e os certificados de batismo para o Pontífice, mas não esperava um retorno.

"Nós estamos extremamente felizes. Queríamos comunicar ao sumo sacerdote essa acolhida da igreja católica que foi muito importante para nós, porque nossos filhos foram bem acolhidos e muito bem tratados pelo arcebispo e pelo padre", disse Toni Reis ao E+.

Ele conta que foram a quatro igrejas da capital paranaense, mas o batismo era negado. A cerimônia só foi possível depois que falaram com o Arcebispo Metropolitano de Curitiba, Dom José Antonio Peruzzo, que disse um sim imediato.

Reis diz que as palavras que mais chamaram a atenção deles na carta foram "felicidade" e "família". "Um documento do Estado do Vaticano reconhecendo a gente como família é muito importante. O Papa deve receber muitas cartas, mas essa foi para nós e é oficial", disse.

Os filhos deles, Alyson, de 16 anos, Jéssica, de 14, e Filipe, de 12, ficaram "super felizes e adoraram a foto autografada do Papa", enviada junto com a carta. Agora, Reis vai fazer uma cópia colorida do documento e colocar em um quadro, que será 'inaugurado' no Dia dos Pais em um almoço especial em família. A carta original ficará muito bem guardada.

"Isso tem um simbolismo muito grande emocionalmente. Nesses tempos de fundamentalismo, o Papa falar isso pra gente nos conforta. Estamos felizes e realizados", afirma Reis.

VEJA TAMBÉM: Saiba desde quando alguns países  permitem o casamento homoafetivo na galeria abaixo: