Na Inglaterra, lei quer proibir anúncios que perpetuam estereótipos de gênero

Redação - O Estado de S.Paulo

Propagandas que mostram a mãe como única responsável pela limpeza da casa e que associam atividades somente a um gênero poderão ter sua veiculação proibida

Anúncios que mostram a mulher como única responsável por serviços domésticos poderão ser proibidos.

Anúncios que mostram a mulher como única responsável por serviços domésticos poderão ser proibidos. Foto: Pixabay

Propagandas que perpetuam estereótipos de gênero ou discriminam pessoas que não estão nas normas padrões de gênero podem ser proibidas na Inglaterra se uma nova lei for aprovada.

De acordo com um comunicado do Advertising Standards Authority (ASA), órgão regulador de propagandas da Inglaterra, "anúncios que mostram papéis ou características de gênero estereotipadas podem causar um impacto negativo, principalmente em crianças, limitando suas ambições futuras".

Alguns exemplos de anúncio que poderão ser enquadrados na lei, que deve entrar em vigor no próximo ano, são aqueles que retratam famílias em que a mulher é a única responsável pela limpeza da casa. Além disso, anúncios que mostram homens tentando, sem êxito, realizar tarefas domésticas ou cuidar dos filhos também serão punidos.

Os reguladores ainda poderão proibir a veiculação de propagandas que sugerem que determinada atividade não pode ser realizada por meninos porque é associada a meninas, e vice-versa. "Enquanto a propaganda é apenas um fator em um enorme debate, padrões mais rígidos podem desempenhar um papel importante em combater as desigualdades em benefício dos indivíduos, da economia e da sociedade como um todo", disse o chefe-executivo da ASA, Guy Parker.

* Com informações da Reuters