Na Espanha, jovem recebe negativa de vaga de emprego por ser mulher

Redação - O Estado de S.Paulo

A Impulsa Comunicación disse que precisava de um homem capaz de lidar com o trabalho do dia a dia e com as visitas na Coca-Cola e na Carglass

Espanhola recebeu resposta negativa de empresa para vaga de emprego por ser mulher. 

Espanhola recebeu resposta negativa de empresa para vaga de emprego por ser mulher.  Foto: Pixabay

A empresa de comunicação espanhola Impulsa Comunicación está sendo duramente criticada nas redes sociais após rejeitar Carla Forcada, candidata a uma vaga de emprego, justificando que ela não seria capaz de exercer a função por ser mulher.

"Oi Carla, obrigada por enviar seu currículo. Nós estamos no processo de seleção, mas nós estamos procurando por um homem porque a vaga requer trabalhar com contas como Carglass e Coca-Cola e, acredite, eles precisam de um homem capaz de lidar com o dia a dia, as visitas, e que tenha conhecimento da produção, etc. Mas nós vamos manter seus dados caso nós precismos de uma ajuda no futuro", escreveu a empresa em um email enviado à candidata.

 

Carla publicou a resposta em seu perfil do Twitter e a publicação já teve mais de 2,9 mil retuítes. O tuíte chegou ao conhecimento das empresas citadas no e-mail, que defenderam a igualdade de gênero.

"A companhia Coca-Cola não trabalha com a Impulsa Comunicación e rechaça esse tipo de respostas discriminatórias. Contamos com uma política de constratação inclusiva, diversa e igualitária. Lamentamos ver nosso nome relacionado com esta resposta discriminatória e infeliz", tuitou o perfil oficial da marca de refrigerantes na Espanha.

A Carglass também se pronunciou:"Olá, Carla. Pedimos desculpas pessoalmente para você e para todas as pessoas ofendidas por essa mensagem. Nós também estamos. Já expressamos nossa posição para a Impulsa Comunicación. Nossa empresa promove igualdade de gênero e atitudes como essa não nos representam".

 

Em entrevista à emissora norte-americana ABC, o diretor da Impulsa, Pere Terés, disse: "Desculpem pelo mal entendido. Eu falei pessoalmente com a candidata, nós a convidamos para integrar nossa equipe. Nós somos uma empresa de transparência com a igualdade, não é aceitável, sob nenhuma circunstância, qualquer tipo de discriminação".