Ministério Público investiga anúncio publicitário que usava idosos em promoção de Natal

Felipe Saturnino* - O Estado de S. Paulo

Casa de repouso de Curitiba, à qual a faixa é atribuída, nega envolvimento com o caso

Pessoas nos arredores disseram não ter visto a faixa, apurou o E+

Pessoas nos arredores disseram não ter visto a faixa, apurou o E+ Foto: FB Imprensa

O Ministério Público do Paraná vai investigar o caso do suposto anúncio publicitário de uma casa de repouso que fazia preço promocional para quem deixasse parentes na instituição a fim de liberar seus responsáveis para desfrutar das festas de Natal. A 1ª Promotoria de Defesa dos Direitos do Idoso de Curitiba informou ao E+ que instaurou processo administrativo para averiguar a situação.

A faixa publicitária virou alvo de crítica nas redes, principalmente por parte do padre Reginaldo Manzotti, embaixador da Pastoral da Pessoa Idosa, que publicou vídeo de indignação com a situação. “Onde é que o idoso é um problema?”, diz no vídeo. “Por favor, vamos repensar a pessoa do idoso. Eles não são produtos, eles não são objetos”, afirmou.

O banner supostamente pertenceria a uma casa de repouso, que já negou envolvimento com o caso, localizada no bairro do Xaxim, região sul de Curitiba. Tanto nome quanto número de telefone da instituição se encontram no anúncio. Uma frase do cartaz diz: “Deixe seu idoso bem conosco e desfrute das festas natalinas”. Em um canto do anúncio, aparecem indicações de “promoção de Natal” e “preços promocionais”.

Contatada na última sexta-feira, 1º, a casa de repouso afirmou ao E+ que não foi responsável pelo anúncio e apenas ficou sabendo dele após ser contatada por uma emissora para se posicionar sobre o assunto. A instituição disse que outras casas de repouso podem ter se aproveitado da situação e tentado prejudicar a imagem da casa. Ela também informou que embora dois dos três telefones elencados no anúncio sejam ou da instituição ou de um funcionário, um dos números anunciados não pertence a ninguém do local.

O E+ entrou em contato com estabelecimentos comerciais situados próximos à casa de repouso, e todos disseram que não viram a tal faixa pendurada na instituição.

 

Confira abaixo o vídeo de desabafo publicado pelo padre Reginaldo Manzotti:

*Estagiário sob supervisão do editor Gabriel Perline