Mãe de menino com doença terminal estaciona em vaga especial e recebe reclamação

Redação - O Estado de S.Paulo

Ela levou o filho para tirar fotos de fim de ano e, quando voltou, encontrou a mensagem 'Você não é deficiente' escrita com batom no carro

Nancy tem permissão para estacionar em vagas especiais para pessoas com deficiência e deixou a placa viível dentro de seu carro

Nancy tem permissão para estacionar em vagas especiais para pessoas com deficiência e deixou a placa viível dentro de seu carro Foto: Imagens cedidas por Nancy Coyne / Facebook/nancy.coyne.75

A norte-americana Nancy Coyne levou seus filhos de cinco e sete anos a um shopping no Estado da Pensilvânia para tirar fotos de fim de ano com o Papai Noel na semana passada. Mas o passeio que deveria ser um momento especial para a mãe e os meninos virou um momento de grande angústia para eles.

Garrett, o filho mais velho, tem doença de Batten, uma condição genética rara e incurável que leva à morte em poucos anos – os pacientes costumam viver até a adolescência, informa a Batten Disease Support and Research Association. O garoto se encontra em um estágio na doença em que já perdeu a visão e desenvolveu dificuldades motoras que interferem na capacidade de andar e falar.

Por isso, Garrett precisa usar um carrinho especial para se movimentar, e a família tem permissão para estacionar em vagas reservadas a pessoas com deficiência. No dia em que a família foi tirar as fotos com o Papai Noel no shopping, Nancy parou o carro em uma dessas vagas, com a devida placa pendurada no espelho retrovisor, como pede a lei. 

Mas, ao voltar ao estacionamento para ir embora, ela encontrou uma mensagem escrita em batom vermelho no vidro do motorista: "Você não é deficiente".

"Todos os dias são uma luta para nós, e sair do shopping depois da nossa manhã maravilhosa e ver o batom no carro – alguém tentando me envergonhar, me dizer que estou errada – trouxe raiva e tristeza", disse Nancy à People. "Como você explica para uma criança de cinco anos de idade o que aconteceu enquanto você tenta se conter?"

Ela notificou o shopping sobre o ocorrido e o estabelecimento avisou a polícia, que abriu uma investigação, informa a revista. Eles teriam encontrado um suspeito que confessou ter escrito a mensagem. O E+ entrou em contato com o departamento para confirmar a informação e aguarda resposta.

A família, que tem uma fundação para ajudar na pesquisa sobre a doença, diz esperar que a situação ajude ao menos a aumentar o conhecimento das pessoas sobre o assunto.