Mãe acusa diretora de puxar os cabelos de sua filha em sala de aula

Redação - O Estado de S.Paulo

De acordo com Elisete Lopes, a atitude teria motivação racial

Mão de criança

Mão de criança Foto: Pixabay

Elisete Lopes, mãe de Beatriz Camille, 10, usou seu Facebook para acusar a escola em que sua filha estuda em Belo Horizonte (MG). De acordo com ela, a diretora da instituição teria puxado os cabelos da menina ao tentar formar um coque, o que a teria deixado a ponto de chorar.

No relato, Elisete afirma que a professora perguntou se a garota "não lavava o cabelo", o que fez com que Beatriz perguntasse à mãe se poderia "nunca mais usar o cabelo solto". Ao buscar contato com a direção da escola, não teve sucesso, e cogitou fazer um boletim de ocorrências, deixando a ideia de lado pouco depois. 

"Na quarta-feira (14), minha filha chegou e disse que a diretora puxou os cabelos dela, que estavam trançados, na tentativa de fazer um coque, e que doeu, e ela só parou quando viu que ela ia chorar", relatou, sobre o episódio que a levou a registrar um boletim de ocorrência.

"Minha filha está doente e as pessoas estão massacrando ela e a autoestima dela, ela só tem 10 anos. Fui em quatro delegacias hoje para conseguir registrar um boletim de ocorrência", prossegue.

Ao final do texto, Elisete se exalta: "Ainda estou chorando e com vontade de bater tanto naquela racista do inferno, pela minha filha vocês não têm ideia de onde sou capaz de ir e capaz de fazer".

O E+ entrou em contato com a direção da escola Efigênio Salles, que optou por não se posicionar sobre o caso.

Confira abaixo as postagens feitas por Elisete, e os boletins de ocorrência postados por ela: