Jovem do Rio Grande do Sul ganha bolsa para estudar música na Suíça

Redação - O Estado de S.Paulo

Para conseguir realizar o sonho, Weslei Ajarda criou uma 'vaquinha' online para custear sua viagem e suas despesas fora do País

Weslei toca contrabaixo desde os sete anos de idade e, agora, aos 18, vai estudar em escola de música da Suíça.

Weslei toca contrabaixo desde os sete anos de idade e, agora, aos 18, vai estudar em escola de música da Suíça. Foto: Facebook/ Weslei Felix Ajarda

Weslei Felix Ajarda é um jovem de 18 anos de Canoas (RS) que toca contrabaixo desde os sete anos de idade. Recentemente, ele recebeu um convite para estudar música na Suíça e, para isso acontecer, ele criou uma campanha de arrecadação de recursos online para custear sua viagem.

"Com três anos de idade começou meu interesse pela música, e, mais velho, com sete para oito anos de idade, comecei a aprender violão com um amigo meu que tocava na banda da igreja. Logo no início, comecei a me encantar pelo contrabaixo acústico, aquelas notas graves me atraíam... Então comecei a praticar sozinho o contrabaixo elétrico, e com dez anos entrei na banda da igreja", contou Weslei ao E+.

Aos 14 anos, uma reportagem em um jornal mudou sua vida. "Minha tia viu uma notícia em um jornal que dizia que a escola de música da Orquesta Sinfônica de Porto Alegra (Ospa) estava selecionando jovens instrumentistas. Eu fiz a inscrição achando que era para contrabaixo elétrico, e foi na primeira aula que descobri que era o acústico. Eu fiquei apavorado e ao mesmo tempo encantado", relembra o jovem.

Após entrar na escola, a música passou a ser o foco de sua vida. "Comecei a estudar mais de quatro, cinco, até oito horas por dia", conta. Um ano depois, Weslei já estava participando de concursos, em que concorreu com outros alunos e até músicos profissionais. Uma competição que venceu lhe deu o prêmio de participar de um concerto da Ospa, tocando contrabaixo ao lado de um professor.

No ano passado, Weslei participou de um festival de música do Sesc em Pelotas e, durante o evento, conheceu o professor Alberto Bocini. "Ele gostou do meu trabalho e me convidou a estudar com ele na Escola de Música de Genebra, na Suíça. Ficamos um ano amadurecendo essa ideia, até que nesse ano aceitei o convite dele. Comecei a estudar francês e já estou inscrito no curso", conta.

Porém, para realizar a viagem, Weslei precisa de doações para pagar as despesas por um semestre na Suíça. "Preciso me manter por lá até que a bolsa saia. Sabendo que nosso dinheiro vale menos de 1/3 do dinheiro da Suíça, e minha família infelizmente não tem condições de pagar minha estadia por lá, resolvi pedir a ajuda de pessoas que, assim como eu, acreditam no poder transformador da música", explica Weslei em sua página no site Vakinha.

Na plataforma, ele descreve os cálculos que fez para chegar ao valor que pede: R$ 52 mil, que incluem gastos com alimentação, hospedagem, seguro saúde, material didático e internet. A campanha foi criada no dia 21 de julho e, até o momento, arrecadou pouco mais de R$ 5,5 mil. O jovem vai para a Suíça em 27 de agosto. 

"Eu pesquisei muito sobre a instituição, e sei que eles tem muito a me oferecer, e acrescentar em minha carreira artística, é uma instituição de grande nome mundial, e que, só de ter no currículo que estudei nessa escola, já é uma grande conquista. Espero chegar em Genebra, fazer bem meus deveres e trabalhar a favor da arte. Essa instituição é mais do que apropriada para eu conseguir realizar meu sonho", finaliza Weslei.