Jovem denuncia motorista do Uber por se masturbar durante corrida

João Abel* - O Estado de S. Paulo

Passageira relatou caso no Twitter e exigiu solução; empresa confirmou banimento do motorista

Motorista do aplicativo foi denunciado pela rede social e já está afastado da plataforma

Motorista do aplicativo foi denunciado pela rede social e já está afastado da plataforma Foto: Sergio Perez/Reuters

*Atualizada em 01/08 às 13h15 e às 16h08

Um motorista do Uber foi denunciado após supostamente se masturbar durante uma corrida. O caso foi relatado no Twitter de uma jovem de São Paulo, que estava no carro no momento do fato.

“Hoje, esse motorista se masturbou enquanto eu estava de passageira. Já fiz as denúncias devidas”, escreveu a passageira, que pediu ‘retuítes’ de seus seguidores para que o caso não se repetisse com mais ninguém.

O tuíte foi publicado na noite deste domingo, 30, e, em poucas horas, gerou muita repercussão na rede social. Foram mais de 18 mil compartilhamentos e 11 mil curtidas.

Denúncia ganhou repercussão no Twitter

Denúncia ganhou repercussão no Twitter Foto: Reprodução/Twitter

Também pelo Twitter, ela pediu esclarecimentos e uma solução para o caso, citando o perfil da Uber. “Aguardo a resposta sobre o ocorrido. Isso é inadmissível”, desabafou.

Procurada pela reportagem do E+, a passageira confirmou que entrou em contato com a empresa de transportes para denunciar o funcionário. "Uso o aplicativo há mais de um ano e foi a primeira vez que tive problemas. O errado é o motorista e não o serviço. O Uber foi extremamente prestativo comigo", ressaltou a modelo, que registrou um boletim de ocorrência sobre o caso nesta terça-feira, 1.

Ela contou que a corrida aconteceu no centro da cidade, na região da Avenida Paulista, quando voltava para casa. "Era à noite e preferi voltar de Uber, porque achei mais seguro. Estava no banco de trás e, quando percebi o que estava acontecendo, fiquei com muito medo. Nem que eu quisesse poderia reagir. Entrei em choque com a situação e só pude rezar para que ele não fizesse mais nada até que eu chegasse em casa", explicou.

Segundo a jovem, a ideia de falar sobre o fato nas redes sociais era alertar mulheres para que tomassem cuidado com o motorista. 

"Não imaginei que teria tanta repercussão. Muitas pessoas me xingaram, dizendo que eu estava mentindo, que sou 'filha de taxista', sem ao menos saber da história mais a fundo. Mas, por outro lado, recebi inúmeras palavras de apoio na minha caixa de mensagens", disse.

Por meio de sua assessoria, o Uber afirmou que este tipo de posicionamento não é tolerado e que o motorista foi banido da plataforma.

*Estagiário sob supervisão de Charlise Morais