Gato famoso por invadir casamento no Espírito Santo está desaparecido

Redação - O Estado de S.Paulo

Animal já tinha sido quase roubado outras duas vezes, diz padre responsável pela paróquia

Na imagem, Nero (preto) e Lucrécia (cinza)

Na imagem, Nero (preto) e Lucrécia (cinza) Foto: Arquivo pessoal/Renato Paganini

O gato Nero, famoso por ter invadido um casamento na Paróquia da Ressurreição, localizada em Vitória, Espírito Santo, está desaparecido desde segunda-feira, 8. Segundo o padre responsável pela igreja, Renato Paganini, o animal já havia sido quase roubado outras duas vezes. 

"Senti falta dele na segunda pela manhã. À noite, as pessoas me perguntaram dele, mas imaginei que estivesse em algum cantinho. Na terça pela manhã, confirmei que ele estava desaparecido", diz Renato em entrevista ao E+

O padre conta que cuida de Nero há um ano, desde que assumiu a paróquia, localizada no bairro Goiabeiras. Conhecido por ser 'gateiro', uma fiel lhe ofereceu dois gatos para adoção. Renato decidiu ficar com ambos, Nero e Lucrécia. 

Ele conta que Nero costuma circular entre os fiéis, dentro e fora da igreja, onde ficam os jardins. "Todo mundo que entra e chega tem contato com ele, sobretudo as crianças", diz o padre. "Como é muito dócil, ele vai para o colo das pessoas. Talvez por isso [alguém] tenha tido esse interesse", diz. O gato já havia sido quase roubado em outras duas ocasiões. 

Nero já foi quase roubado outras duas vezes, segundo o padre

Nero já foi quase roubado outras duas vezes, segundo o padre Foto: Arquivo pessoal/Renato Paganini

Nero ficou famoso após o casamento, conta Renato, a ponto de pessoas de fora da igreja irem até lá para fazer selfies com 'o gato do casamento'.

Campanha. O padre divulgou nas redes sociais o desaparecimento de Nero, na esperança de obter mais informações. Na manhã desta sexta-feira, 12, ele recebeu pelo Facebook uma mensagem de uma pessoa com uma fotografia de um gato muito parecido. "Ele está um pouco abatido e desidratado, mas parece bastante com o Nero", afirma. Renato pretende descobrir se o animal da imagem é, realmente, o seu bicho de estimação.