Frase 'Fuck White People' não é considerada discurso de ódio na África do Sul

Redação - O Estado de S.Paulo

Decisão foi tomada após obra de arte com os dizeres ir a julgamento

Obra causou discussão na África do Sul

Obra causou discussão na África do Sul Foto: Instagram / @lorenzowakefield

Em uma exposição que ficou em cartaz desde o ano passado até o mês de abril na Iziko South African National Gallery (ISANG), na Cidade do Cabo, na África do Sul, a artista Dean Hutton produziu uma obra chamada fuckwhitepeople wall, chair, and goldenbean boots, que traz a frase "Fuck White People" [F***-se as pessoas brancas, em tradução livre] estampada repetidas vezes em uma parede e uma cadeira, ao lado de um par de botas.

A obra causou polêmica e gerou debate no país, indo parar até mesmo na Justiça. Houve um pedido para que houvesse a retirada da obra, um pedido público de desculpas e o pagamento de uma multa de 150 mil Rands (cerca de R$ 37,5 mil). O resultado da decisão judicial a respeito do caso foi divulgado na última terça-feira, 4. 

No documento da sentença, o magistrado da Cidade do Cabo considera que, pelo contexto, não há caracterização de ofensa discriminatória, e a reclamação deve ser derrubada: "O trabalho em geral, e as palavras 'F***-se as pessoas brancas' em particular como usadas por Dean Hutton em sua arte de protesto não são discriminação injusta no campo da raça [...] Isso não é discurso de ódio [...]".

Confira os documentos abaixo: